1. Ao mestre do coro. De Davide. Salmo.

2. Esperei, esperei no Senhor, e ele inclinou-se para mim e ouviu o meu clamor.

3. Tirou-me da fossa da perdição, do pântano lodoso, e assentou os meus pés sobre a pedra, deu firmeza aos meus passos.

4. E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus. Muitos verão e temerão, e esperarão no Senhor,

5. Bem-aventurado o homem que pôs a sua esperança no Senhor e não anda após os que adoram ídolos e se desviam para a mentira.

6. Senhor, Deus meu, tens feito muitas obras maravilhosas, e não há quem te seja semelhante nos teus desígnios para connosco.

7. Não quiseste sacrifício nem oferenda, mas abriste-me os ouvidos. (Também) não pediste holocausto e vítima pelo pecado:

8. então eu disse: "Eis ,que venho; no rolo do livro está escrito de mim:

9. em fazer a tua vontade, ó meu Deus, me deleito, e a tua lei está no íntimo do meu coração.

10. Anunciei a (tua) justiça na grande assembleia; não contive os meus lábios; Senhor, tu o sabes,

11. Não escondi a tua justiça no meu coração: publiquei a tua fidelidade e o teu socorro. Não ocultei a tua graça e a tua fidelidade à grande assembleia.

12. Tu, Senhor, não afastes de mim as tuas misericórdias; a tua graça e a tua fidelidade sempre me amparem.

13. Porquanto me cercaram males sem conta, tornaram-me as minhas culpas, e já não pude ver. São mais do que os cabelos da minha cabeça, e o meu ânimo desfaleceu.

14. Seja do teu agrado, Senhor, o livrar-me; Senhor, apressa-te em me socorrer.

15. Sejam confundidos e envergonhados todos aqueles que procuram a minha vida, para a arrebatarem. Retrocedam e sejam cobertos de opróbrio, os que se comprazem com os meus males.

16. Fiquem atônitos, cheios de vergonha, aqueles que me dizem: "Bem! bem!"

17. Regozijem-se e alegrem-se em ti todos os que te buscam, e os que desejem o teu auxílio digam sempre: "Seja glorificado o Senhor."

18. Quanto a mim sou desvalido e pobre; o Senhor, porém, tem cuidado de mim. Tu és (ó Senhor) o meu auxílio e o meu libertador; Deus meu, não tardes!





“Enquanto estivermos vivos sempre seremos tentados. A vida é uma contínua luta. Se às vezes há uma trégua é para respirarmos um pouco.” São Padre Pio de Pietrelcina