1. Provérbios de Salomão, filho de Davide, rei de Israel,

2. para aprender a sabedoria e disciplina; (ver nota)

3. para compreender as palavras,da prudência, receber a instrução da (boa) doutrina, a justiça, a rectidão e a equidade;

4. para dar aos inexperientes o discernimento, e ao jovem conhecimento e reflexão. O sábio. ouvindo (estas sentenças), ficará mais sábio, e o que as entender adquirirá destreza

6. para compreender as sentenças e as palavras subtis, as máximas dos sábios e os seus enigmas.

7. O temor do Senhor é o principio da sabedoria. Os insensatos desprezam a sabedoria e a doutrina.

8. Ouve, meu filho, as instruções de teu pai, e não abandones os ensinamentos de tua mãe.

9. Isso será uma coroa de graça para a tua cabeça, e um colar para o teu pescoço.

10. Meu filho, se os pecadores te atraírem com os seus afagos, não condescendas com eles.

11. Se te disserem: Vem connosco, façamos emboscadas para derramar sangue, armemos laços ocultos ao inocente, que nos não fez mal algum;

12. devoremo-lo vivo como o sepulcro _(devora os cadáveres), e inteiro como aquele que desce à cova;

13. acharemos toda a sorte de bens preciosos, encheremos as nossas casas de despojos:

14. une a tua sorte à nossa, seja uma só a bolsa de nós todos;

15. meu filho, não vás com eles, guarda-te de andares pelas suas veredas;

16. porque os seus pés correm para o mal, e apressam-se a derramar sangue.

17. Mas debalde se lança a rede diante dos olhos dos que têm asas.

18. Eles mesmos (com isto) armam traições contra o seu próprio sangue, e tramam enganos contra as suas almas.

19. Tais são os caminhos de todos os ávidos de riqueza: (estes caminhos) perdem as almas daqueles que os seguem.

20. A sabedoria clama em público, nas praças levanta a sua voz.

21. Ela grita nas encruzilhadas, faz ouvir as suas palavras á entrada das portas da cidade, dizendo:

22. Até quando amareis, ó crianças, a infantilidade? (Até quando é que)os insensatos cobiçarão as coisas que lhes são nocivas. e os imprudentes odiarão a Instrução?

23. Convertei-vos com u minha repreensão; eu vou espalhar sobre vós o meu espírito, eu vou ensinar-vos a minha doutrina.

24. Mas, visto que eu vos chamei, e vós não quisestes ouvir-me, visto que estendi a minha mão, e não houve quem olhasse para mim, visto que desprezastes todos os meus conselhos, e não fizestes caso das minhas repreensões,

26. também eu me rirei da vossa ruina, zombarei de vós; quando vos assaltar o terror, quando cair sobre vós, como furacão, o terror, quando vos colher a desgraça como um temporal, quando vierem sobre vós a tribulação e a angústia

28. Então me Invocarão (os impios) e eu não os ouvirei, buscar-me-ão, e não me encontrarão, (ver nota)

29. porque eles aborreceram a instrução, não abraçaram o temor do Senhor,

30. não se submeteram ao meu conselho, e desprezaram todas as minhas repreensões.

31. Comerão, pois, os frutos do seu (mau) proceder, e fartar-se-ão dos seus conselhos.

32. O desvio dos parvos os matará, e a (falsa) prosperidade dos insensatos os perderá.

33. Mas aquele que me ouvir, viverá tranqüilo, em segurança, sem receio de mal algum.





“Pense na felicidade que está reservada para nós no Paraíso”. São Padre Pio de Pietrelcina