1. Ao mestre do coro. Segundo Idithum. De Asaf. Salmo.

2. A minha voz sobe até Deus, e clamo, a minha voz sobe até Deus para que me ouça;

3. no dia da minha angústia busco a Deus. Estende-se a minha mão de noite (para ele) sem se cansar, a minha alma recusa toda a consolação.

4. Ao recordar-me de Deus, gemo; quando repenso (nos meus sofrimentos), o meu espírito desfalece.

5. Conservas em vigília os meus olhos, estou perturbado e não posso falar.

6. Penso nos dias antigos, os anos afastados

7. eu recordo: medito (nisto) de noite em meu coração, reflicto, e o meu espírito esquadrinha.

8. "Porventura Deus há-de abandonar-nos, para sempre, e não voltará a ser-nos propício?

9. Porventura terá acabado para sempre a sua graça, ficará anulada a sua promessa por todas as gerações?

10. Porventura esqueceu-se Deus de usar de clemência?Porventura deteve, na sua ira, a sua misericórdia?"

11. Então eu digo: "Esta é a minha dor: está mudada a dextra do Altíssimo."

12. Lembro-me das obras do Senhor, sim, recordo-me das tuas maravilhas de outrora.

13. Medito em todas as tuas obras e vou reflectindo sobre as tuas proezas.

14. O teu caminho, ó Deus, é santo: que deus há grande como o nosso Deus?

15. Tu és o Deus que opera maravilhas, fizeste conhecer entre os povos o teu poder.

16. Redimiste com o teu braço o teu povo, os filhos de Jacob e de José.

17. Viram-te as águas (do mar Vermelho), ó Deus, viram-te as águas: tremeram e agitaram-se as ondas.

18. As nuvens descarregaram águas a torrentes, as nuvens fizeram soar a sua voz, e voaram as tuas setas.

19. O teu trovão ribombou no turbilhão, os relâmpagos iluminaram o mundo: abalou-se e tremeu a terra.

20. Pelo mar abriu-se o teu caminho, e o teu atalho pelo meio das muitas águas, sem aparecerem os teus vestígios.

21. Conduziste o teu povo como um rebanho, pela mão de Moisés e de Aarão.





“Enquanto tiver medo de ser infiel a Deus, você não será’. Deve-se ter medo quando o medo acaba!” São Padre Pio de Pietrelcina