1. Ao mestre do coro. Segundo a melodia do cântico: "A corça, ao romper da aurora..." Salmo. De Davide.

2. Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Estás longe das preces, das palavras do meu clamor.

3. Meu Deus, clamo durante o dia, e não me ouves, de noite, e não me prestas atenção.

4. Mas tu moras no lugar santo, ó louvor de Israel.

5. Em ti esperaram nossos pais, esperaram, e tu os livraste;

6. a ti clamaram, e foram salvos, em ti esperaram, e não foram confundidos.

7. Eu, porém, sou um verme e não um homem, O opróbrio dos homens e a abjecção da plebe.

8. Todos os que me vêem, escarnecem de mim, franzem os lábios, meneiam a cabeça (dizendo):

9. "Esperou no Senhor: livre-o, salve-o, se é que o ama."

10. Sim, tu tens sido o meu guia desde o ventre (materno), tornaste-me seguro aos peitos de minha mãe. (ver nota)

11. Fui-te consagrado, logo desde o nascimento, tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe.

12. Não estejas longe de mim, porque estou atribulado; aproxima-te, porque não há quem me ajude.

13. Numerosos novilhos (indómitos) me cercam; estou rodeado de touros (ferozes) de Basã.

14. Abrem contra mim a sua boca, como um leão arrebatador que dá rugidos.

15. Derramo-me como a água, e todos os meus ossos se desconjuntaram. O meu coração tornou-se como cera, derrete-se dentro das minhas entranhas.

16. A minha garganta secou-se como barro cozido, e a minha língua pegou-se ao meu paladar, reduziste-me ao pó da morte.

17. Com efeito, me rodeiam muitos cães (raivosos), uma turba de malfeitores me cerca. Traspassaram as minhas mãos e os meus pés,

18. posso contar todos os meus ossos. Eles, porém, olham e, vendo-me, se alegram;

19. repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha túnica.

20. Mas tu, Senhor, não estejas longe de mim: meu amparo, apressa-te a ajudar-me.

21. Livra da espada a minha alma e das garras do cão a minha vida;

22. salva-me da boca do leão e das bastes dos búfalos, a mim, mísero.

23. Anunciarei o teu nome aos meus irmãos, no meio da assembleia te louvarei.

24. "Vós que temeis ao Senhor, louvai-o; vós todos, que sois a descendência de Jacob, glorificai-o: tema-o toda a posteridade de Israel.

25. De facto, ele não desprezou nem desdenhou a miséria do mísero, Nem apartou a sua face dele, mas ouviu-o quando lhe clamava."

26. De ti procede o meu louvor na grande assembleia; cumprirei os meus votos em presença dos que o temem.

27. Os pobres comerão, e serão saciados, louvarão o Senhor os que o buscam: "Vivam para sempre os vossos corações!"

28. Lembrar-se-ão e converter-se-ão ao Senhor todos os limites da terra; prostrar-se-ão diante dele todas as famílias das nações,

29. porque o reino pertence ao Senhor, e ele impera sobre as nações.

30. Só a ele adorarão todos os que dormem na sepultura, ante ele se inclinarão todos os que descem ao pó. A minha alma viverá para ele,

31. a minha descendência o servirá, falará do Senhor à geração

32. vindoura, e anunciarão a sua justiça ao povo que há-de nascer: "Tudo isto fez o Senhor."





“Devemos odiar os nossos pecados, visto que o amor ao Senhor significa paz”. São Padre Pio de Pietrelcina