1. Eis o que diz o Senhor: Onde está o libelo de repúdio de vossa mãe, pelo qual me divorciei dela? Ou quem é esse meu credor, a quem vos vendi? Por causa das vossas iniquidades fostes vendidos, por causa dos vossos crimes foi repudiada vossa mãe. (ver nota)

2. Porque eu vim, e não havia ninguém; chamei, e não havia quem respondesse. Encurtou-se, porventura, a minha mão, de forma que vos não possa resgatar? Ou não tenho eu poder bastante para vos livrar? Eis que, com uma simples ameaça, seco o mar e transformo em deserto os rios, até que definham os peixes sem água, e morrem à sede.

3. Envolvo os céus em trevas, e ponho-lhes um saco (de luto) por cobertura.

4. O Senhor deu-me língua de discípulo, para eu saber sustentar com a palavra o que está cansado: ele me chama pela manhã, pela manhã desperta os meus ouvidos, para que eu o ouça como discípulo.

5. O Senhor Deus abriu-me o ouvido, e eu não o contradisse, não me afastei para trás.

6. Entreguei o meu dorso aos que me feriam, e a minha face aos que me arrancavam a barba; não desviei o meu rosto dos que me injuriavam e cuspiam.

7. O Senhor Deus é o meu protetor, por isso não me senti confundido, por isso tornei a minha face como uma pedra duríssima sabendo que não ficaria envergonhado.

8. Ao pé de mim está quem me justifica; quem me contradirá? Apresentemo-nos juntos. Quem é o meu adversário? Aproxime-se de mim.

9. O Senhor Deus é o meu protetor; quem há que me condene? Serão todos consumidos como um vestido: a traça os comerá.

10. Qual de vós teme o Senhor, qual ouve a voz do seu servo? O que anda nas trevas (do exílio) e não tem luz, espere no nome do Senhor, firme-se sobre o seu Deus.

11. Mas vós todos, que estais acendendo o fogo, que vos armais de setas abrasadas, caminhai nas chamas do vosso fogo, por entre as setas que inflamastes. Da minha mão é que vos virá isto: dormireis em dores.





Jesus lhe quer bem, da maneira que só Ele sabe amar.” São Padre Pio de Pietrelcina