1. Oráculo sobre Babilônia, revelado a Isaías, filho de Amós.

2. Levantai um estandarte sobre um monte escalvado, chamai-os em alta voz, fazei-lhes sinais com a mão para que entrem pelas portas dos príncipes.

3. Eu dei ordens aos que consagrei (para esta obra), chamei os meus dos seus valentes para (pôr em ação) a minha ira, eles que exultam com a minha glória.

4. Vozearia de gente sobre os montes, como de imensa multidão, ruído confuso de reinos de nações reunidas: É o Senhor dos exércitos que passa revista às tropas para a batalha.

5. Vêm de longínquo país da extremidade dos céus, o Senhor e os instrumentos do seu furor, para destruir toda a terra.

6. Soltai gritos, porque o dia do Senhor está perto: virá do Omnipotente como uma assolação.

7. Por esta causa, todas as mãos perderão o seu vigor, e todo o coração do homem desanimará.

8. Ficarão quebrantados, apoderar-se-ão deles convulsões e dores; torcer-se-ão como a mulher que está de parto; cada um ficará atônito, olhando para o seu vizinho; os seus rostos tornar-se-ão inflamados.

9. A cidade será tomada; horrível massacre.

10. Eis que vem o dia do Senhor, dia cruel, cheio de indignação, de ira e de furor, para transformar a terra numa solidão e para exterminar dela os pecadores.

11. As estrelas do céu, as suas constelações não espalharão a sua luz; cobrir-se-á de trevas o sol no seu nascimento, e a Iua não resplandecerá com a sua claridade.

12. Castigarei a terra por suas maldades, e os ímpios por sua iniquidade; porei fim à insolência dos soberbos, humilharei a arrogância dos opressores.

13. Farei que os homens sejam mais raros que o ouro fino, mais raros que o ouro de Ofir.

14. Farei estremecer os céus, e mover-se-á a terra do seu lugar, por causa da indignação do Senhor dos exércitos, no dia em que se acender o seu furor.

15. Então como a gazela que foge, como o rebanho que ninguém congrega, cada um (deixará Babilônia e) voltará para o seu povo, fugirá para a sua terra.

16. Todo o que for encontrado (na cidade) será morto, todo o que for preso cairá passado à espada.

17. Seus filhinhos serão massacrados, diante dos seus olhos, suas casas serão saqueadas, suas mulheres violadas.

18. Os seus arcos abaterão os jovens; não se compadecerão do fruto do ventre, nem pouparão as criancinhas.

19. Então Babilónia, gloriosa entre os reinos, orgulho dos Caldeus, ficará destruída, como o Senhor destruiu Sodoma e Gomorra.

20. Nunca mais será habitada, nunca mais povoada, no decorrer das idades, nem ali porá as suas tendas o Árabe, nem repousarão nela, com seus gados, os pastores.

21. As feras farão ali o seu covil; encher-se-ão as suas casas de mochos; habitarão ali avestruzes, e sátiros ali dançarão;

22. entre (as minas dos) seus palácios uivarão chacais, e lobos nas suas casas de prazer.





“Devo fazer somente a vontade de Deus e, se lhe agrado, o restante não conta.” São Padre Pio de Pietrelcina