1. Alegra-te, estéril, que não dás à luz; entoa cânticos de júbilo, tu que não sentes as dores do parto, porque os filhos da desamparada são muito mais do que os daquela que tem marido, diz o Senhor.

2. Alarga o espaço da tua tenda, estende quanto puderes as peles da tua cobertura, estica as tuas cordas e segura as tuas estacas,

3. porque tu te estenderás para a direita e para a esquerda, e a tua posteridade tomará posse das nações e povoará as cidades desertas.

4. Não temas, porque não serás confundida, não te envergonhes porquanto não terás de que te envergonhar, pois te esquecerás da confusão da tua mocidade e não te lembrarás mais do opróbrio da tua viuvez.

5. Com efeito, o teu esposo é o teu Criador, que se chama Senhor dos exércitos; o teu redentor é o Santo de Israel, chamado o Deus de toda a terra.

6. O Senhor te chamou, como uma mulher desamparada e angustiada, como uma mulher repudiada desde a mocidade, disse o teu Deus.

7. Por um momento, por um breve espaço te abandonei, mas (agora) te congrego com grande misericórdia.

8. No momento da minha indignação escondi de ti, por um pouco, a minha face, porém compadeci-me de ti, com um amor eterno, diz o Senhor, teu Redentor.

9. Eu faço por ti como fiz nos dias de Noé, a quem jurei que não mais derramaria as águas (do dilúvio) sobre a terra; jurei não mais me irritar contra ti, nem te aterrorizar.

10. Ainda que os montes sejam abalados e tremam as colinas, o meu amor não se apartará de ti, a minha aliança de paz não se mudará, diz o Senhor, compadecido de ti.

11. Infeliz, combatida da tempestade, sem consolação alguma, eis que te vou edificar sobre jaspe, fundar sobre safiras;

12. farei as tuas ameias de rubis, as tuas portas de carbúnculo, uma muralha envolvente de pedras preciosas.

13. Todos os teus filhos serão instruídos pelo Senhor e gozarão duma grande paz.

14. Serás fundada sobre a justiça; estarás livre da opressão, pois nada terás a temer, e do pavor, pois não chegará a ti.

15. Se te atacarem, não será da minha parte, e quem te atacar cairá diante de ti.

16. Fui eu que criei o ferreiro que sopra sobre os carvões ardentes e que daí retira a arma que deve trabalhar: fui eu que criei o destruidor para destruir (ver nota)

17. Toda a arma fabricada contra ti, não terá préstimo; e tu condenarás toda a língua que se apresente em juízo contra ti. Esta é a herança dos servos do Senhor, esta a justiça que lhes virá de mim, diz o Senhor.





“Somente por meio de Jesus podemos esperar a salvação.” São Padre Pio de Pietrelcina