1. Oráculo sobre o deserto do mar. Como vêm os tufões da parte do meio-dia, assim vem isto do deserto de uma terra medonha. (ver nota)

2. Anunciada me foi uma terrível visão; O saqueador saqueia, o assolador devasta. Marcha, ó Elam! Sitia, ó Medo! Faço cessar todos os gemidos.

3. Por esta causa se encheram de dor as minhas entranhas, a angústia apoderou-se de mim. como a angústia duma mulher na hora do parto. Fiquei atemorizado quando tal ouvi, fiquei de todo perturbado quando o vi.

4. O meu coração fica desvairado, o terror invade-me; a noite que (antes) desejava, (agora) enche-me de pavor.

5. Põe-se a mesa, estende-se o mantel, come-se e bebe-se. Levantai-vos, príncipes, tomai o escudo. (ver nota)

6. Porque o Senhor me disse estas coisas: Vai e põe uma sentinela, que anuncie tudo o que vir.

7. Se ela vir cavaleiros, dois a dois, montados sobre asnos, montados sobre camelos, preste atenção, muita atenção.

8. Depois gritou (como) um leão: Eu estou no posto em que o Senhor me colocou, e nele permaneço todo o dia, estou passando na minha guarda noites inteiras.

9. Eis que chega cavalaria, cavaleiros, dois a dois. Retomou a palavra e disse: Caiu, caiu Babilônia! Todas as estátuas dos seus deuses se fizeram em pedaços, contra a terra.

10. Ó vós, debulha minha, grão da minha eira, o que eu ouvi ao Senhor dos exércitos, ao Deus de Israel, isso vos anuncio. (ver nota)

11. Oráculo sobre Duma. Clamam para mim de Seir: Sentinela, que houve esta noite? Sentinela, que houve esta noite?

12. A sentinela respondeu: Chega a manhã, e a noite também. Perguntai, se quereis, voltai a perguntar.

13. Oráculo sobre a Arábia. Passareis a noite nos matagais da estepe, caravanas de Dedan.

14. Vós os que habitais a terra de Tema, saindo ao encontro do sequioso, trazei-lhe água, socorrei com pão os fugitivos,

15. pois eles fugiram diante da espada, diante da espada desembainhada, diante do arco tenso, diante do rude combate.

16. Porque o Senhor me diz estas coisas: Ainda um ano, (contado) como os anos do mercenário, e depois desaparecerá toda a glória de Cedar.

17. O número que ficar dos fortes frecheiros, filhos de Cedar, será pequeno. O Senhor, Deus de Israel, (assim) o disse.





“Que Jesus o mergulhe no esplendor da Sua imortal juventude.” São Padre Pio de Pietrelcina