1. Levanta-te e resplandece! Chegou a tua luz, e glória do Senhor ergueu-se sobre ti.

2. Eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti se levanta o Senhor, e a sua glória te ilumina.

3. As nações caminharão para a tua luz, e os reis para o resplendor da tua aurora.

4. Levanta em roda os olhos e vê; todos esses se congregam, vêm a ti; teus filhos chegam de longe, e tuas filhas surgirão de todos os lados,

5. Verás (tudo isto) e ficarás radiante, teu coração palpitará e se dilatará, quando afluírem a ti as riquezas do mar e te chegarem os tesouros das nações,

6. Ver-te-ás inundada duma multidão de camelos, de dromedários de Madian e de Efa; todos virão de Sabá, trazendo-te ouro e incenso e publicando os louvores do Senhor.

7. Todo o gado de Cedar se juntará em ti; os carneiros de Nabiot estarão ao teu serviço; serão oferecidos sobre o meu altar, como vítimas agradáveis, e glorificarei a casa da minha glória.

8. Quem são estes, que voam como nuvens, como pombas para os seus pombais?

9. Sim, as ilhas (ou nações) me estão esperando, e as naus de Tarsis serão as primeiras a vir, para trazer de longe os teus filhos, com a sua prata e o seu ouro, para honrar o nome do Senhor, teu Deus, e o Santo de Israel, que te glorificou.

10. Os filhos dos estrangeiros edificarão os teus muros, e os seus reis te servirão; com efeito, eu te feri na minha indignação, porém, na minha benevolência, tive misericórdia de ti.

11. Estarão sempre abertas as tuas portas; não se fecharão nem de dia nem de noite, a fim de que seja trazida a riqueza das nações e te sejam conduzidos os seus reis.

12. Porque a nação e o reino que te não servirem, perecerão, serão completamente destruídos.

13. A glória do Líbano virá a ti, o cipreste, o olmo e o buxo juntamente servirão pára adornar o lugar do meu santuário, e eu glorificarei o lugar onde repousam os meus pés (ou a arca da aliança).

14. Virão a ti com a fronte curvada os filhos daqueles que te humilharam, prostrar-se-ão a teus pés todos os que te desprezarem. Chamar-te-ão a cidade do Senhor, a Sião do Santo de Israel.

15. De abandonada, aborrecida e solitária, far-te-ei a glória imortal dos séculos, a alegria de todas as gerações.

16. Tu te alimentarás com o leite das nações, serás criada ao peito dos reis: saberás que sou eu, o Senhor, que te salvo, que o teu redentor é o Forte de Jacob. (ver nota)

17. Em lugar de cobre trarei ouro; e em vez de ferro trarei prata; em vez de madeira cobre, e em lugar de pedras ferro; porei por teu governador a paz, por teu magistrado a justiça.

18. Não se ouvirá mais falar de violência na tua terra, não haverá assolação nem ruína dentro das tuas fronteiras; darás o nome de Salvação aos teus muros, e de Glória às tuas portas.

19. Não terás mais (necessidade do) sol para luzir de dia, nem do resplendor da lua para te alumiar: o Senhor te servirá de luz eterna, o teu Deus será a tua glória.

20. Não mais se porá o teu sol, e a tua lua não minguará, porque o Senhor te servirá de luz eterna, e terão acabado os dias do teu pranto.

21. Todo o teu povo será um povo de justos; eles possuirão a terra para sempre como vergônteas que plantei, como obras que a minha mão fez para me glorificarem.

22. O menor deles valerá por mil, e o mais pequeno por uma nação poderosa. Eu, o Senhor, a seu tempo, o farei apressadamente.





“Enquanto tiver medo de ser infiel a Deus, você não será’. Deve-se ter medo quando o medo acaba!” São Padre Pio de Pietrelcina