1. (Então) o deserto e a terra árida se alegrarão, e a solidão exultará e florescerá como um lírio.

2. Florescerá exuberantemente, rejubilará, soltará gritos de alegria; a glória do Líbano ser-lhe-á dada, a formosura do Carmelo e de Saron; os seus habitantes verão a glória do Senhor, a magnificência do nosso Deus.

3. Confortai as mãos frouxas, robustecei os joelhos débeis.

4. Dizei aos pusilânimes: Tomai ânimo, não temais: Eis o vosso Deus, que vem executar a vingança, eis que chega a retribuição divina! Deus mesmo virá, e vos salvará!

5. Então se abrirão os olhos dos cegos, e se desimpedirão os ouvidos dos surdos.

6. Então saltará o coxo como um veado, e desatar-se-á alegremente a língua dos mudos. Rebentarão mananciais de águas no deserto, e torrentes na solidão.

7. A terra, que estava árida, se converterá em um lago, e a terra, que ardia de sede, se converterá em fontes de águas. Nas cavernas, em que antes habitavam os chacais, nascerá a verdura da cana e do junco. (ver nota)

8. Haverá ali uma vereda, um caminho, que se chamará o caminho santo; não passará por ele o impuro; este (caminho) será um caminho direito, de sorte que até os apoucados andem por ele sem se perderem.

9. Não haverá ali leão, nem animal (algum) feroz por ali passará; por esse caminho andarão os que tiverem sido salvos (do pecado),

10. os remidos do Senhor por ele voltarão e virão a Sião, cantando os seus louvores; uma alegria eterna coroará a sua cabeça; serão repletos de gozo e alegria, e deles fugirão a dor e o gemido.





“A caridade é o metro com o qual o Senhor nos julgará.” São Padre Pio de Pietrelcina