1. Eis as palavras da carta que o profeta Jeremias enviou de Jerusalém aos anciãos que ficaram no cativeiro, aos sacerdotes, aos profetas e a todo o povo, que Nabucodonosor tinha deportado de Jerusalém para Babilônia,

2. depois que o rei Jeconias e a rainha, os eunucos, os príncipes de Judá e de Jerusalém, os carpinteiros e os serralheiros saíram de Jerusalém,

3. (a qual carta Jeremias mandou) por mão de Elasa, filho de Safan, e de Gamarias, filho de Helcias, os quais enviou Sedecias, rei de Judá, a Babilônia, a Nabucodonosor, rei de Babilônia. A carta dizia:

4. Assim fala o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, a todos os cativos deportados de Jerusalém a Babilônia:

5. Edificai casas e habitai-as; plantai hortas e comei os seus frutos (porque haveis de estar aqui muito tempo);

6. tomai mulheres, gerai filhos e filhas, dai a vossos filhos mulheres e dai maridos a vossas filhas, para que criem filhos e filhas; multiplicai-vos aí e não deixeis diminuir o vosso número.

7. Procurai o bem da cidade, para a qual vos fiz deportar, e orai por ela ao Senhor, porque o seu bem será o vosso.

8. Porque isto diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel: Não vos seduzam os vossos profetas, que estão no meio de vós, nem os vossos adivinhos, e não façais caso dos sonhos que tendes.

9. Com efeito eles vos profetizam falsamente em meu nome e eu não os enviei, diz o Senhor.

10. Porque isto diz o Senhor: Quando se cumprirem os setenta anos (da vossa estada) em Babilônia, eu vos visitarei e darei cumprimento à promessa feita em vosso favor de vos fazer voltar a este lugar.

11. De facto sei os desígnios que tenho àcerca de vós, diz o Senhor, desígnios de paz, e não de aflição, no sentido de vos assegurar um futuro cheio de esperança.

12. Vós me invocareis, vireis, suplicar-me-eis, e eu vos atenderei.

13. Buscar-me-eis e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração.

14. Deixar-me-ei achar por vós, diz o Senhor: farei voltar os vossos cativos, recolher-vos-ei do meio de todos os povos e de todos os lugares por onde vos dispersei, diz o Senhor, e far-vos-ei voltar ao lugar donde vos lancei fora.

15. Porém vós dizeis: O Senhor suscitou-nos profetas em Babilônia.

16. Eis o que diz o Senhor a respeito do rei, que está sentado sobre o trono de Davide, e de todo o povo que habita nesta cidade, dos vossos irmãos que não saíram convosco para o cativeiro.

17. Assim fala o Senhor dos exércitos: Vou enviar contra eles a espada, a fome e a peste; trata-los-ei como figos maus, que se não podem comer, porque são muito maus.

18. Persegui-los-ei com a espada, com a fome e com a peste, e farei deles um objecto de horror para todos os reinos da terra, um objecto de maldição, de espanto, de escárnio e de opróbrio para todas as nações para onde os tiver lançado,

19. porque não deram ouvidos às minhas palavras, diz o Senhor, tendo-lhes eu mandado os meus servos, os profetas, tendo-os enviado incessantemente; vós não ouvistes, diz o Senhor.

20. Ouvi, pois, a palavra do Senhor, vós todos cativos, que enviei de Jerusalém a Babilônia.

21. Isto diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, a Acab, filho de Colias, e a Sedecias filho de Maasias, que vos profetizam falsamente em meu nome: Vou entregá-los nas mãos de Nabucodonosor, rei de Babilônia, que os mandará matar diante dos vossos olhos.

22. Todo o cativo de Judá, que está em Babilônia, se servirá deles para maldizer, dizendo: O Senhor te trate como tratou Sedecias e Acab, que o rei de Babilônia mandou assar no fogo.

23. Isto por causa de terem feito iniquidades em Israel, adulterado com as mulheres dos outros, e pronunciado falsamente em meu nome palavras que eu lhes não tinha mandado dizer. Eu o sei e sou disso testemunha, diz o Senhor.

24. E a Semeias, Neelamita, dirás:

25. Assim fala o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: Visto que enviaste cartas em teu nome a todo o povo que está em Jerusalém, ao sacerdote Sofonias, filho de Maasias, e a todos os sacerdotes, dizendo:

26. O Senhor te constituiu sacerdote em lugar do sacerdote Jojada, a fim de que exerças vigilância na casa do Senhor, sobre todo o homem fanático que profetiza, para que o metas no cepo e no cárcere.

27. - qual a razão por que não repreendeste a Jeremias, de Anatot, que vos profetiza?

28. Graças a isso, ele pôde mandar-nos dizer a Babilônia: Será longo (o vosso cativeiro); edificai casas e habitai-as; plantai hortas e comei os seus frutos.

29. Leu, pois, o sacerdote Sofonias esta carta aos ouvidos do profeta Jeremias.

30. E foi dirigida a palavra do Senhor a Jeremias, nos termos seguintes:

31. Manda dizer a todos os deportados: Assim fala o Senhor a Semeias, Neelamita: Porque vos profetizou Semeias, e eu não o enviei; visto que fez com que confiásseis na mentira,

32. portanto isto diz o Senho: Eis que castigarei Semeias, Neelamita, e a sua geração; não haverá dele descendente que viva no meio deste povo, e não verá o bem (ou a liberdade) que concederei ao meu povo, diz o Senhor, porque pregou a revolta contra o Senhor.





“A pessoa que nunca medita é como alguém que nunca se olha no espelho e, assim, não se cuida e sai desarrumada. A pessoa que medita e dirige seus pensamentos a Deus, que é o espelho de sua alma, procura conhecer seus defeitos, tenta corrigi-los, modera seus impulsos e põe em ordem sua consciência.” São Padre Pio de Pietrelcina