1. Tu és muito justo, ó Senhor, para que dispute contigo; todavia eu te direi coisas justas. Por que motivo é próspero o caminho dos ímpios, e vivem em paz todos os que prevaricam e fazem mal?

2. Tu os plantas (no mundo), e lançam raízes; medram e dão fruto; estás perto dos seus lábios, porém longe do seu coração.

3. Mas tu, Senhor, me conheces, me vês, experimentas como o meu coração está contigo. Leva-os como ovelhas para o matadouro, destina-os para o dia da matança.

4. Até quando há-de chorar a terra, secar-se a erva de todo o campo? Por causa da maldade dos seus habitantes perecem animais e aves, porque dizem: Ele não verá o nosso fim.

5. Se te fatigaste em seguir, correndo, os que iam a pé, como poderás competir com os que vão a cavalo? Se nem estás em sossego numa terra de paz, que farás no meio dos matagais do Jordão (povoado de feras)? (ver nota)

6. Sim, os teus próprios irmãos, os da casa de teu pai, te atraiçoam. Por trás de ti, criticam-te desabridamente. Não te fies neles, (mesmo) quando te falarem com doçura.

7. (Para os castigar, diz o Senhor) deixei a minha casa (ou templo), abandonei a minha herança; entreguei o objecto das delícias da minha alma às mãos dos seus inimigos.

8. A minha herança (o meu povo) tornou-se para mim como um leão na selva; levantou a voz (blasfemando) contra mim; por isso eu a aborreci.

9. Porventura a minha herança é como uma ave multicolor, cercada de abutres? Vinde, congregai-vos todos os animais da terra, apressai-vos a devorá-la.

10. Numerosos pastores destruíram a minha vinha, pisaram a minha propriedade, trocaram a minha deliciosa herança em deserto de solidão.

11. Devastaram-na, e ela está de luto diante de mim; foi inteiramente desolada toda a terra (de Judá), porque não há ninguém que considere no seu coração.

12. Por todas as alturas do deserto chegam desvastadores, porque a espada do Senhor devora o país, desde um extremo ao outro, não há paz para nenhum vivente.

13. Semearam trigo e colheram espinhos; trabalharam, mas em vão; receberam a herança, mas não lhes aproveitou. Tende vergonha dos vossos frutos, por causa da grande cólera do Senhor.

14. Assim fala o Senhor: Todos os vizinhos malvados, que tocam (ou usurpam) a herança que reparti pelo meu povo de Israel, vou arrancá-los da sua terra e arrancar a casa de Judá do meio deles.

15. Mas, quando os tiver arrancado, voltar-me-ei e terei piedade deles, fá-los-ei voltar cada um à sua herança, cada um à sua terra.

16. Se eles, escarmentados, aprenderem os caminhos do meu povo, de maneira que jurem em meu nome (dizendo): Vive o Senhor - como ensinaram o meu povo a jurar por Baal, _(então) serão estabelecidos no meio do meu povo. Porém, se não ouvirem, arrancarei pela raiz e exterminarei aquela gente, diz o Senhor.





“E’ na dor que o amor se torna mais forte.” São Padre Pio de Pietrelcina