1. Foi-me dirigida a palavra do Senhor nos termos seguintes:

2. Não tomarás mulher, nem terás filhos nem filhas neste lugar.

3. Porque isto diz o Senhor acerca dos filhos e das filhas, que nascerem neste lugar, acerca das mães que os conceberem e acerca dos pais que os gerarem nesta terra:

4. Morrerão de morte ruim, não serão chorados nem enterrados, jazerão como esterco sobre a face da terra, serão consumidos à espada e à fome, e os seus cadáveres servirão de pasto às aves do céu e aos animais da terra.

5. Com efeito, assim fala o Senhor: Não entres na casa de luto, não vás chorar à casa onde se chora, nem os consoles, porque eu retirei deste povo a minha paz, diz o Senhor, o meu favor e a minha misericórdia.

6. Morrerão grandes e pequenos nesta terra; não serão sepultados, nem chorados; não se farão por eles incisões (em sinal de luto), nem por eles se raparão os cabelos.

7. Não se repartirá o pão para consolar o que chora sobre um morto; não se dará a beber o copo da consolação, para consolar os que choram a perda de seu pai e de sua mãe.

8. Não entres numa casa de banquete, para te sentares tanto a comer como a beber com eles,

9. porque isto diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel: Vou desterrar deste lugar, a vossos olhos e em vossos dias, a voz de júbilo, a voz de alegria, a voz (ou cântico) do esposo e a voz da esposa.

10. Se, quando anunciares a este povo todas estas coisas, te disserem: Por que pronunciou o Senhor contra nós todo este grande mal? Que iniquidade é a nossa? Que pecado é o que cometemos contra o Senhor nosso Deus?

11. - responder-lhes-ás: É porque vossos pais me abandonaram, diz o Senhor, e foram após os deuses estranhos, que serviram a minha lei.

12. Quanto a vós, ainda fizestes pior que vossos pais; cada um vai atrás da dureza do seu mau coração, para me não dar ouvidos.

13. Expulsar-vos-ei desta terra para uma terra que não conheceis, nem vós, nem vossos pais; servireis ali a deuses estranhos, de dia e de noite, porque não vos farei mercê.

14. Dias virão, diz o Senhor, em que não se dirá mais: Vive o Senhor, que tirou os filhos de Israel da terra do Egito, - (ver nota)

15. mas sim: Vive o Senhor, que tirou os filhos de Israel da terra do aquilão e de todas as terras, por onde os havia dispersado. Fá-los-ei voltar a esta sua terra, que dei a seus pais. (ver nota)

16. Eis que mandarei muitos pescadores, diz o Senhor, e eles os pescarão: depois disto, enviarei muitos caçadores, e caçá-los-ão de toda a montanha, de todo o outeiro e das cavernas dos penhascos.

17. Com efeito, os meus olhos estão postos sobre todos os seus caminhos: eles não escapam à minha presença, e não se encobre a meus olhos a sua iniquidade.

18. Primeiramente pagarei em dobro as suas maldades e pecados, porque profanaram a minha terra com os cadáveres dos seus ídolos, encheram a minha herança com as suas abominações.

19. Senhor, minha força, minha cidadela, meu refúgio no dia da tribulação, a ti virão as gentes desde as extremidades da terra e dirão: Verdadeiramente nossos pais só possuíram a mentira, coisas vãs que de nada servem.

20. É possível que um homem faça deuses para si? Mas, então, eles não são deuses.

21. Pelo que eu lhes mostrarei, esta vez, lhes mostrarei a minha mão e o meu poder, e saberão que o meu nome é Senhor.





“Por que a tentação passada deixa na alma uma certa perturbação? perguntou um penitente a Padre Pio. Ele respondeu: “Você já presenciou um tremor de terra? Quando tudo estremece a sua volta, você também é sacudido; no entanto, não necessariamente fica enterrado nos destroços!” São Padre Pio de Pietrelcina