1. Palavra que foi dirigida pelo Senhor a Jeremias, assim:

2. Levanta-te, vai a casa do oleiro, e lá ouvirás as minhas palavras.

3. Fui a casa do oleiro, que estava trabalhando sobre a roda.

4. Quando ficava estragada a vasilha que fazia, retomava o barro com as mãos, e, tornando de novo, fazia outra, como bem lhe parecia. Então foi-me dirigida a palavra do Senhor nos termos seguintes:

6. Porventura não poderei eu fazer de vós, casa de Israel, como este oleiro? diz o Senhor. Vede que, como o barro está na mão do oleiro, assim vós estais na minha mão, casa de Israel.

7. Num momento, decido desarraigar, destruir, fazer perecer um povo ou um reino.

8. (Porém) se tal povo se arrepende do seu mal, pelo qual eu o tenha condenado, também eu me arrependo do mal, que pensava fazer contra ele.

9. Noutro momento, decido estabelecer e plantar um reino ou um povo.

10. Porém se esse povo fizer o mal ante os meus olhos, de maneira que não ouça a minha voz, arrependo-me também eu do bem, que disse lhe faria.

11. Agora, pois, fala aos homens de Judá e aos moradores de Jerusalém, assim: Isto diz o Senhor: Estou preparando a desgraça contra vós, formando projetos contra vós, volte cada um de vós, portanto, do seu mau caminho, corrigi os vossos caminhos e as vossas obras.

12. Mas eles dirão: Inútil! Seguiremos os nossos pensamentos, cada um de nós procederá segundo a dureza do seu mau coração.

13. Portanto isto diz o Senhor: Perguntai às (outras) nações: Quem ouviu coisa semelhante? Horrível é o crime que cometeu a virgem de Israel.

14. Porventura pode faltar nos altos penhascos a neve do Líbano? Ou extinguem-se as frias águas correntes que vêm de longe? (ver nota)

15. Ora o meu povo esqueceu-se de mim, oferecendo incenso a ídolos vãos, tropeçando nos seus caminhos, nas veredas de outrora, para andarem por elas em caminho não trilhado (pelos meus servos fiéis),

16. reduzindo assim a sua terra à desolação e a ser sempre um objecto de escárnio; todo o que passar por ela ficará espantado e abanará a sua cabeça (escarnecendo).

17. Eu os espalharei diante do seu inimigo, como o vento do oriente; voltar-lhes-ei as costas, e não a face, no dia da sua ruína.

18. Disseram: Vinde e formemos projetos contra Jeremias, porque (apesar do que Jeremias prediz) não perecerá a doutrina por falta de sacerdote, nem o conselho por falta de sábio, nem a palavra (do Senhor) por falta de profeta; vinde, firamo-lo com a língua (caluniando-o), e não atendamos a nenhuma das suas palavras.

19. Põe, Senhor, em mim a tua atenção, ouve a voz dos meus adversários.

20. Acaso assim se torna mal por bem? Pois eles (que tanto me devem) abrem uma cova para me tirarem a vida. Lembra-te de que me apresentei na tua presença para falar insistentemente em favor deles, para apartar deles a tua indignação.

21. Por isso entrega os seus filhos à fome e fá-los passar pelo fio da espada; as suas mulheres fiquem sem filhos e viúvas; os maridos delas sejam mortos pela peste; os seus jovens sejam atravessados com a espada no combate.

22. Seja ouvido o clamor vindo das suas casas, quando lançares de repente sobre eles bandos de salteadores, porque abriram uma cova para me prenderem, armaram laços ocultos aos meus pés.

23. Mas tu, Senhor, conheces todos os seus desígnios de morte contra mim; não lhes perdoes a sua maldade, e o seu pecado não se apague de diante da tua face; caiam de repente na tua presença; procede contra eles no tempo da tua ira.





“Para consolar uma alma na sua dor, mostre todo o bem que ela ainda pode fazer”. São Padre Pio de Pietrelcina