1. Ouvi a palavra que o Senhor pronuncia acerca de vós, casa de Israel.

2. Isto diz o Senhor: Não aprendais os (maus) caminhos das nações não temais os sinais do céu, como temem os gentios;

3. porque as leis dos povos são vãs. A mão dum artista corta um madeiro do bosque, trabalhando-o com o machado;

4. adorna-o com prata e com ouro; com pregos e a marteladas une-o para se não desconjuntar.

5. Estas estátuas são feitas (dum tronco) de palmeira, e não falam; tomam-nas, e levam-nas duma parte para a outra, porque não podem andar. Não as temais pois, porque não podem fazer mal nem bem.

6. Ninguém há semelhante a ti, Senhor! És grande, e é grande o teu nome em fortaleza!

7. Quem te não temerá ó Rei das nações? Pois a ti se deve o temor. Entre todos os sábios das nações e em todos os seus reinos, ninguém há semelhante a ti.

8. Todos, juntamente, são néscios e insensatos; a sua doutrina é coisa vã: é lenha.

9. Prata batida trazida de Tarsis, ouro de Ofaz (Ofir?), obra de escultor e de mão de ourives! De jacinto e de púrpura é o seu revestimento: todos (os ídolos) são obra de artistas. (ver nota)

10. Mas o Senhor é o Deus verdadeiro, o Deus vivo e o rei eterno. À sua indignação se abala a terra, e as nações não suportam a sua cólera.

11. Vós pois lhes direis assim: Os deuses que não fizeram os céus e a terra, pereçam da terra e de debaixo do céu.

12. O (Senhor é) que fez a terra com o seu poder, firmou o mundo com a sua sabedoria e estendeu os céus com a sua inteligência.

13. (Só) com a sua voz reúne no céu uma grande multidão de águas e eleva as nuvens das extremidades da terra; e faz sair o vento dos seus reservatórios.

14. Então todo o homem se tem por néscio e imbecil, todo o artista tem vergonha do seu ídolo, porque fundiu uma falsidade, a que falta o sopro vital.

15. São coisas vãs, obras dignas de riso; quando chegar o dia do seu castigo, perecerão.

16. Não é semelhante a estes (ídolos) aquele (Senhor) que é a porção de Jacob, pois foi ele que formou todas as coisas; Israel é a porção da sua herança; o seu nome é Iavé dos exércitos.

17. Junta da terra a tua bagagem, ó tu que te encontras sitiada!

18. Porque isto diz o Senhor: Eis que atirarei, desta vez, para longe os habitantes desta terra e os atribularei para que me encontrem.

19. (Então exclamarás:) Ai de mim! Que ferida! A minha chaga é incurável! Mas eu disse: Fui eu que procurei esta desgraça: suportá-la-ei.

20. A minha tenda foi destruída, todas as minhas cordas se quebraram, os meus filhos saíram de mim, já não existem! Daqui em diante não há quem levante a minha tenda, quem estenda os meus pavilhões.

21. Os pastores (que me deviam guiar) obraram loucamente, não buscaram o Senhor; por isso não prosperaram, e todo o seu rebanho se dispersou.

22. Eis que já se ouve uma voz, um grande tumulto vem da terra do Aquilão para reduzir as cidades de Judá a deserto, a morada de chacais.

23. Eu sei, Senhor, que o caminho do homem não está no seu poder, que o homem que anda não pode dirigir os seus passos. (ver nota)

24. Castiga-me, Senhor, porém segundo a justiça, e não no teu furor, para que não suceda que me reduzas a nada.

25. Derrama a tua indignação sobre as nações que te não conhecem, sobre os povos que não invocam o teu nome, porque devoraram Jacob, consumiram-no inteiramente, devastaram a sua morada.





“Para consolar uma alma na sua dor, mostre-lhe todo o bem que ela ainda pode fazer.” São Padre Pio de Pietrelcina