1. Palavra que o Senhor dirigiu a Jeremias, nos termos seguintes:

2. Põe-te em pé, à porta da casa do Senhor, e prega aí estas palavras: Ouvi a palavra do Senhor, vós todos, ó filhos de Judá, que entrais por estas portas para adorar o Senhor.

3. Eis o que diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel: Tornai bons os vossos caminhos e as vossas obras, e eu habitarei convosco neste lugar.

4. Não ponhais a vossa confiança em palavras de mentira (dos) que dizem: É este o templo do Senhor, o templo do Senhor, o templo do Senhor!

5. Mas se dirigirdes bem os vossos caminhos, se emendardes as vossas obras, se fizerdes justiça aos que pleiteiam entre si,

6. se não oprimirdes o peregrino, o órfão e a viúva, nem derramardes o sangue inocente neste lugar, se não andardes após os deuses alheios, para vossa desgraça,

7. então habitarei convosco neste lugar, nesta terra que dei a vossos pais, pelos séculos dos séculos.

8. Contudo, eis que confiais, para vosso mal, em palavras de mentira, que vos não servirão para nada.

9. Pois quê! Furtar, matar, adulterar, jurar falso, sacrificar a Baal e ir após os deuses estranhos, que não conheceis,

10. e (depois disto) vir à minha presença nesta casa, onde o meu nome é invocado, e dizer: Estamos livres (de todo o mal) - com a ideia de continuar a cometer todas estas abominações!

11. Logo, esta minha casa, onde é invocado o meu nome, é, a vossos olhos, um covil de ladrões? Eu, eu também vi (as vossas abominações), diz o Senhor.

12. Ide ao meu santuário, a Silo, onde habitou o meu nome, a princípio, e vede o que eu lhe fiz por causa da malícia do meu povo de Israel.

13. E agora, porque tendes feito todas estas obras, diz o Senhor, e porque, quando vos falei e avisei com tempo, não me ouvistes, quando vos chamei, não me respondestes,

14. farei a esta casa onde o meu nome é invocado e na qual pondes a vossa confiança, a este lugar, que vos dei a vós e a vossos pais, (farei, digo) o mesmo que fiz a Silo;

15. lançar-vos-ei para longe da minha face, como lancei todos os vossos irmãos, toda a linhagem de Efraim.

16. Tu pois (Jeremias) não rogues por este povo, não faças por eles lamentações nem preces, não insistas comigo, porque não te ouvirei.

17. Não vês tu o que eles fazem nas cidades de Judá e nas praças de Jerusalém?

18. Os filhos juntam a lenha, os pais acendem o fogo, as mulheres preparam a massa a fim de fazerem tortas para a rainha do céu; depois fazem libações a deuses estranhos, para me ofenderem.

19. Porventura é a mim que eles ofendem, diz o Senhor? Não é antes a si mesmos que fazem mal, para confusão do seu rosto?

20. Portanto isto diz o Senhor Deus: Eis que o meu furor, a minha indignação, está para cair sobre este lugar, sobre os homens e sobre os animais, sobre as árvores dos campos e sobre os frutos da terra; acender-se-á e não se apagará.

21. Isto diz o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel: Juntais os vossos holocaustos aos vossos sacrifícios, e comei as suas carnes.

22. Não falei com vossos pais, nem lhes mandei, no dia em que os tirei da terra do Egito, coisa alguma acerca dos holocaustos e dos sacrifícios,

23. mas eis o que lhe ordenei: Ouvi a minha voz, e eu serei o vosso Deus e vós sereis o meu povo; andai por todo o caminho que eu vos prescrevo, para serdes felizes.

24. Todavia não me ouviram, não prestaram atenção, foram após os seus apetites, segundo a dureza do seu malvado coração, voltaram para trás, em vez de irem para diante.

25. Desde o dia em que vossos pais saíram da terra do Egito até hoje, eu vos enviei todos os meus servos, os profetas, cada dia me apressei a enviá-los.

26. Porém (os filhos de Israel) não me ouviram, não me prestaram atenção mas endureceram a sua cerviz e obraram pior que seus pais.

27. Tu lhes dirás todas estas palavras, mas não te ouvirão; chamá-los-ás, mas não te responderão.

28. Então lhes dirás: Esta é aquela nação que não ouviu a voz do Senhor seu Deus, não recebeu as suas instruções. Acabou-se a sua fé, desapareceu da sua boca.

29. Corta os teus cabelos (em sinal de luto) e lança-os fora, levanta o teu pranto nas alturas, porque o Senhor arrojou de si e abandonou a geração que excitou o seu furor.

30. Sim, os filhos de Judá cometeram o mal diante de meus olhos, diz o Senhor. Puseram os seus horrores (ou ídolos) na casa em que foi invocado o meu nome, para a profanarem;

31. edificaram os lugares altos de Tofet, que está no Vale do Filho de Hinnom, para queimarem no fogo os seus filhos e as suas filhas, coisa que não mandei nem me passou pelo pensamento.

32. Por isso, dias virão, diz o Senhor, em que não se chamará mais Tofet, nem Vale do Filho de Hinnom, mas Vale da Matança. Então enterrarão em Tofet, porque não haverá mais lugar;

33. e os cadáveres deste povo servirão de pasto às aves do céu e aos animais da terra, sem aparecer quem os enxote.

34. Farei que se não ouça nas cidades de Judá e nas praças de Jerusalém voz de regozijo e de alegria, cantar de esposo e cantar de esposa, porque a terra será um deserto.





“O sábio elogia a mulher forte dizendo: os seu dedos manejaram o fuso. A roca é o alvo dos seus desejos. Fie, portanto, cada dia um pouco. Puxe fio a fio até a execução e, infalivelmente, você chegará ao fim. Mas não tenha pressa, pois senão você poderá misturar o fio com os nós e embaraçar tudo.” São Padre Pio de Pietrelcina