1. Aquele que observa a lei (por isso mesmo, como que) multiplica as oferendas. (ver nota)

2. É um sacrifício salutar estar atento aos mandamentos, e apartar-se de toda a iniquidade.

3. É oferecer um sacrifício de propiciação pelas injustiças e orar pelos pecados, o afastarmo-nos da injustiça.

4. Aquele que oferece a flor da farinha dá graças a Deus; e o que exerce a misericórdia oferece um sacrifício.

5. É agradável ao Senhor o fugir da iniquidade; é uma deprecação pelos pecados o retirar-se da injustiça.

6. Não apareças com as mãos vazias diante do Senhor,

7. porque todas estas coisas se fazem por causa do mandamento de Deus.

8. A oblação do justo torna pingue o altar, e é um suave perfume diante do Altíssimo.

9. O sacrifício do justo é agradável (a Deus), o Senhor não se esquecerá dele.

10. De bom ânimo tributa glória a Deus, e não diminuas as primícias de tuas mãos.

11. Tudo o que dás, dá-o com semblante alegre, santifica os teus dízimos com regozijo.

12. Dá ao Altíssimo segundo o que ele te tem dado, oferece-lhe com ânimo generoso, segundo as tuas posses,

13. porque o Senhor é remunerador, recompensar-te-á tudo sete vezes mais.

14. Não lhe ofereças donativos perversos, porque os não receberá.

15. Não esperes nada dum sacrifício injusto, porque o Senhor é juiz, e não há para ele distinção de pessoas.

16. O Senhor não fará acepção de pessoas contra o pobre, e ouvirá a oração do oprimido.

17. Não desprezará os rogos do órfão, nem a viúva que lhe fala com os seus gemidos.

18. Não correm as lágrimas à viúva pelas suas faces, e não clama ela contra aquele que lhas faz derramar?

19. Efectivamente, elas das faces (da viúva) sobem até ao céu, e o Senhor, que a ouve, não gostará de a ver chorar.

20. Aquele que adora a Deus com alegria será bem acolhido, e a sua prece chegará até às nuvens.

21. A oração do que se humilha penetrará as nuvens; ele não se consolará, enquanto ela não chegar (até Deus), e não se retirará, enquanto o Altíssimo não puser nela os olhos.

22. O Senhor não diferirá por muito tempo, mas julgará os justos e lhes fará justiça: o Fortíssimo não usará mais de paciência (com os opressores), mas quebrar-lhes-á o dorso.

23. Vingar-se-á das nações, até desfazer a multidão dos soberbos e quebrar os ceptros dos iníquos;

24. até retribuir aos homens segundo as suas acções, segundo as obras e presunção de (qualquer descendente de) Adão;

25. até fazer justiça ao seu povo e alegrar os justos com a sua misericórdia.

26. A misericórdia de Deus, no tempo da tribulação, é agradável, como a nuvem que se desfaz em chuva no tempo da seca.





“Se você tem dúvidas sobre a fé é exatamente porque tem fé!” São Padre Pio de Pietrelcina