1. Guardai-vos de fazer as boas obras diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles, doutra sorte não tereis direito à recompensa do vosso Pai, que está nos céus.

2. Quando pois dás esmola, não faças tocar a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.

3. Mas, quando dás esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita,

4. para que a tua esmola fique em segredo, e teu Pai, que vê (o que fazes) em segredo, te pagará.

5. Quando orais, não sejais como os hipócritas, que gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, a fim de serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.

6. Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, ora a teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê (o que se passa) em segredo, te dará a recompensa. (ver nota)

7. Nas vossas orações não useis muitas palavras como os gentios, os quais julgam que serão ouvidos à força de palavras. (ver nota)

8. Não os imiteis, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lho peçais.

9. Vós pois orai assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.

10. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.

11. O pão nosso de cada dia nos dá hoje.

12. Perdoa-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos aos que nos têm ofendido.

13. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.

14. Porque, se vós perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará.

15. Mas, se não perdoardes aos homens, tão pouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.

16. Quando jejuais, não vos mostreis tristes como os hipócritas, que desfiguram os seus rostos para mostrar aos homens que jejuam. Na verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.

17. Mas tu, quando jejuas, unge a tua cabeça e lava o teu rosto,

18. a fim de que não pareças aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está presente ao (que há de mais) secreto. e teu Pai, que vê no secreto, te dará a recompensa.

19. Não acumuleis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e a traça (os) consomem, e onde os ladrões perfuram as paredes e roubam.

20. Entesourai para vós tesouros no céu, onde nem a ferrugem, nem a traça (os) consomem, e onde os ladrões não perfuram as paredes nem roubara.

21. Porque onde está o teu tesouro, aí está também o teu coração.

22. O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho for são, todo o teu corpo terá luz. (ver nota)

23. Mas, se teu olho for defeituoso, todo o teu corpo estará em trevas. Se pois a luz, que há em ti, é trevas, quão espessas serão as próprias trevas!

24. Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há-de odiar um e amar o outro, ou há-de afeiçoar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a riqueza. (ver nota)

25. Portanto vos digo: Não vos preocupeis (demasiadamente), nem com a vossa vida, acerca do que haveis de comer, nem com o vosso corpo, acerca do que haveis de vestir. Porventura não vaie mais a vida qué o alimento, e o corpo mais que o vestido?

26. Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem fazem provisões nos celeiros, e contudo vosso Pai celeste as sustenta. Porventura não valeis vós muito mais do que elas?

27. Qual de vós, por mais que se afadigue, pode acrescentar um só côvado à duração da sua vida?

28. E porque vos inquietais com o vestido? Considerai como crescem os lírios do campo: não trabalham nem fiam.

29. Digo-vos todavia que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles.

30. Se pois Deus veste assim uma erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé !

31. Não vos aflijais pois, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos?

32. Os gentios é que procuram com excessivo cuidado todas estas coisas. Vosso Pai sabe que tendes necessidade delas.

33. Buscai, pois, em primeiro lugar, o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo.

34. Não vos preocupeis, pois, demasiadamente, pelo dia de amanhã; o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado.





“Seja modesto no olhar.” São Padre Pio de Pietrelcina