1. Surgiu depois o profeta Elias, como um fogo. As suas palavras ardiam como um facho. Fez vir sobre eles a fome. Os que o irritavam pela sua inveja foram reduzidos a um pequeno número, porque não podiam suportar os preceitos do Senhor. (ver nota)

3. Com a palavra do Senhor fechou o céu, e fez cair fogo do mesmo céu por três vezes.

4. Quão glorioso te tornaste, Elias, pelos teus prodígios! Quem pode gloriar-se de ser como tu?

5. Tu que fizeste sair um morto do sepulcro, arrancando-o à morte, em virtude da palavra do Senhor Deus;

6. que precipitaste os reis na desgraça, que desfizeste sem trabalho o seu poder, e, no meio da sua glória, os fizeste cair do leito (na sepultura); que ouviste sobre o Sinai o juízo do Senhor, e sobre o Horeb os decretos da sua vingança; (ver nota)

8. que sagraste reis para vingar crimes, e estabeleceste profetas para teus sucessores;

9. que foste arrebatado (ao céu) num redemoinho de fogo, num carro tirado por cavalos ardentes;

10. tu, que foste designado nos decretos dos tempos para abrandar a ira do Senhor, para reconciliar o coração dos pais com os filhos, e para restabelecer as tribos de Jacob.

11. Bem-aventurados os que te viram, e que foram honrados com a tua amizade!

12. Quanto a nos, vivemos só durante esta vida, e depois da morte não teremos um nome como o teu.

13. Elias foi envolto num redemoinho, mas o seu espírito ficou em Eliseu, o qual não temeu príncipe algum em seus dias, e, em poder, não foi vencido por ninguém.

14. Nada houve que o pudesse dominar, e, ainda depois de morto, o seu corpo profetizou.

15. Em sua vida fez prodígios, e na morte operou maravilhas.

16. Com todas estas maravilhas o povo não fez penitência, não se afastou dos seus pecados, até que foi expulso da sua terra, e espalhado por todo o mundo.

17. Ficou muito pouca gente (na Palestina), e (somente) um príncipe da casa de Davide.

18. Alguns deles fizeram o que era do agrado de Deus, outros cometeram muitos pecados.

19. Ezequias fortificou a sua cidade, conduziu água para o centro dela, abriu com ferro um rochedo, e fez reservatórios para água.

20. Durante o seu reinado veio Senaquerib. que enviou Rabsaces, o qual levantou a sua mão contra eles. estendeu a sua mão contra Sião, ensoberbecendo-se com o seu poder.

21. Então (os Israelitas) ficaram sobressaltados nos seus corações e nas suas mãos sentiram dores como as mulheres que estão de parto.

22. Invocaram o Senhor misericordioso, levantando ao céu as suas mãos estendidas, e o Santo, o Senhor Deus, ouviu logo a sua voz.

23. Não mais se lembrou dos seus pecados, não os entregou aos seus inimigos, mas purificou-os por mão do santo profeta Isaías.

24. Dissipou o Acampamento dos Assírios, e o anjo do Senhor os exterminou. Porque Ezequias fez o que era do agrado de Deus, andou com fortaleza pelo caminho de Davide seu Pai, como lhe tinha recomendado Isaías, profeta grande e fiel diante de Deus.

26. Em seus dias, o Sol voltou para trás, e ele (o profeta) prolongou a vida do rei.

27. Com o seu grande espírito (profético) viu os últimos tempos, e consolou os que choravam em Sião. Até ao fim dos séculos

28. mostrou o que devia acontecer, e as coisas ocultas antes que sucedessem.





“Não nos preocupemos quando Deus põe à prova a nossa fidelidade. Confiemo-nos à Sua vontade; é o que podemos fazer. Deus nos libertará, consolará e enorajará.” São Padre Pio de Pietrelcina