1. Ditoso o homem que tem uma virtuosa mulher, porque será dobrado o número dos seus anos. A mulher forte é a alegria de seu marido, derramará paz sobre os anos da sua vida.

3. A mulher virtuosa é uma sorte excelente, é o prêmio dos que temem a Deus, será dada ao homem pelas suas boas obras.

4. Terá (o marido dela) satisfeito o coração, seja rico ou pobre, e o seu rosto ver-se-á sempre alegre.

5. Três coisas receou o meu coração, e com a quarta se amedrontou o meu semblante:

6. A acusação duma cidade (inteira), a sedição dum povo,

7. a calúnia, coisas estas mais pesadas que a morte;

8. mas a mulher ciumenta é dor do coração e luto.

9. Na mulher ciosa a língua é um flagelo, que a todos atinge.

10. Como o jugo dos bois desajustado, assim é a mulher má; o que a toma, é como quem toma um escorpião. (ver nota)

11. A mulher dada ao vinho é motivo de grande cólera e vergonha, e a sua infâmia não será oculta.

12. A impudicícia da mulher reconhece-se na desfaçatez do olhar e no mover das suas pálpebras.

13. Redobra de vigilância sobre a filha que não se retrai (dos homens) para que não se perca, se encontrar ocasião.

14. Vigia sobre todo o desavergonhamento dos seus olhos. e não estranhes se ela te desprezar.

15. Ela, como um viajante sequioso, abrirá a boca à fonte e beberá de toda a água que tiver a mão, junto de qualquer poste se assentará, e a toda a seta abrirá a aljava até mais não poder.

16. A graça duma mulher cuidadosa deleita o seu marido,

17. e o seu bom proceder infunde-lhe vigor até aos ossos. É um dom de Deus

18. uma mulher sensata, amiga do silêncio; nada é comparável a uma mulher bem educada.

19. Graça sobre graça é a mulher santa e cheia de pudor.

20. Todo o preço é nada em comparação duma alma casta.

21. Como o Sol que se levanta para o mundo, nas alturas de Deus, assim é a beleza duma mulher virtuosa, ornamento da sua casa.

22. Como a lâmpada que brilha sobre o candelabro sagrado, assim é a graciosidade do rosto numa idade madura.

23. Como colunas de ouro sobre bases de prata, assim são, sobre as suas plantas, os pés esbeltos da mulher ponderada.

24. Como fundamentos eternos sobre a pedra sólida, assim são os mandamentos de Deus no coração da mulher santa.

25. Com duas coisas se entristeceu o meu coração, e a terceira provocou-me a cólera:

26. Um homem de guerra que perece à míngua, tecem, um homem sábio que é desprezado, (ver nota)

27. e aquele que passa da justiça ao pecado; a este último reservou Deus para a espada. (ver nota)

28. Duas coisas me parecem difíceis e perigosas: Dificultosamente evitará as faltas o que negoceia, e o taberneiro não estará isento dos pecados da língua.





“Se você fala das próprias virtudes para se exibir ou para vã ostentação perde todo o mérito.” São Padre Pio de Pietrelcina