1. Filho, não prives o pobre da sua esmola, não apartes dele os teus olhos. Não desprezes aquele que tem fome, nem exasperes o pobre na sua necessidade.

3. Não aflijas o coração do desventurado, e não retardes a esmola ao necessitado.

4. Não rejeites a petição do atribulado, nem voltes a cara ao pobre.

5. Não afastes os teus olhos do indigente, para que não se irrite, nem dês ocasião, aos que te pedem, de te amaldiçoar por trás,

6. porque será ouvida a imprecação daquele que te amaldiçoa na amargura da sua alma; o seu Criador o ouvirá. Mostra-te afável no ajuntamento dos pobres; humilha a tua alma diante dum ancião; abaixa a tua cabeça diante dos grandes. (ver nota)

8. Aplica o teu ouvido ao pobre, sem enfado, paga a tua dívida, dá-lhe mansamente uma resposta serena.

9. Livra da mão do soberbo o que padece injúria, e, quando julgares (uma causa), não o faças com aspereza.

10. (No julgar) sê misericordioso com os órfãos como um pai, e como um marido para com a sua (pobre) mãe,

11. e serás como um filho obediente do Altíssimo, que se compadecerá de ti, mais do que uma mãe.

12. A sabedoria infunde vida a seus filhos, toma debaixo da sua protecção os que a buscam, vai adiante deles no caminho da justiça.

13. O que a ama, ama a vida, e os que fazem vigílias para a encontrar gozarão da sua doçura.

14. Aqueles que a possuírem, terão a vida (eterna) por herança, e onde ela entrar, Deus abençoará tudo.

15. Os que a servem, serão obedientes ao Santo, e Deus ama os que a amam. (ver nota)

16. Aquele que a ouve, julgará as nações, e o que tem os olhos fixos nela permanecerá seguro.

17. Se tiver confiança nela, herdá-la-á, e a sua posse será confirmada em seus filhos.

18. Porque ela anda com ele na prova, e o escolhe entre os primeiros. (ver nota)

19. Ela fará vir sobre ele o temor, o medo e a prova; atormentá-lo-á com a tribulação da sua disciplina, até que o experimente nos seus pensamentos, e se fie na sua alma.

20. Então ela o porá firme, encaminhar-se-á directamente a ele, enchê-lo-á de alegria, (ver nota)

21. descobrir-lhe-á os seus segredos, e o enriquecerá com um tesouro de ciência e de inteligência da justiça.

22. Porém, se ele se extraviar, ela o abandonará e o entregará nas mãos do seu inimigo.

23. Filho, aproveita o tempo, foge do mal.

24. Não te envergonhes de dizer a verdade, para bem da tua alma.

25. Há vergonha que faz cair em pecado, e há vergonha que traz consigo glória e graça.

26. Não faças acepção de pessoas com prejuízo teu nem mintas à custa da tua alma.

27. Não respeites o teu próximo na tua queda. (ver nota)

28. Não retenhas a palavra quando ela pode ser salutar. Não escondas a tua sabedoria pela tua vaidade.

29. Com efeito, a sabedoria dá-se a conhecer pela língua; o bom senso, a ciência e a doutrina mostram-se na palavra do homem cordato; a firmeza (manifesta-se) nas obras de justiça.

30. Não contradigas de modo algum a verdade; confunde-te da mentira em que tenhas caído por ignorância.

31. Não te envergonhes de confessar os teus pecados, mas não te submetas a ninguém que te leve a pecar.

32. Não resistas cara a cara ao homem poderoso, não te oponhas à corrente do rio. (ver nota)

33. Combate pela justiça para (salvares) a tua vida, peleja até à morte pela justiça, e Deus combaterá por ti contra os teus inimigos.

34. Não sejas precipitado em falar, e (ao mesmo tempo) remisso e negligente nas tuas obras.

35. Não sejas como um leão na tua casa, fazendo tropelias contra os teus domésticos e oprimindo os teus súbditos.

36. A tua mão não esteja aberta para receber, e fechada para dar.





“O Santo Rosário é a arma daqueles que querem vencer todas as batalhas.” São Padre Pio de Pietrelcina