1. Fez-me voltar depois para o pórtico exterior do santuário que olhava para o oriente, o qual estava fechado.

2. O Senhor disse-me; Este pórtico estará fechado: não se abrirá, ninguém passará por ele, porque o Senhor Deus de Israel por aí passou: ficará fechado.

3. Porém o príncipe, como príncipe sentar-se-à nele para comer o pão diante do Senhor; mas entrará pelo caminho do vestíbulo do pórtico, e pelo mesmo caminho sairá.

4. Levou-me pelo pórtico do setentrião, diante do templo; olhei e vi que a glória do Senhor enchia a casa do Senhor; (ao ver isto) prostrei-me sobre o meu rosto.

5. E o Senhor disse-me: Filho de homem, considera no teu coração, olha com os teus olhos e ouve com os teus ouvidos todas as coisas que te disser acerca de todas as ordenações da casa do Senhor. de todos os seus regulamentos; aplica o teu coração a conhecer como entrar no templo e a conhecer também todas as saídas do santuário.

6. Dirás à casa de Israel, a estes rebeldes: Assim fala o Senhor Deus: Bastem-vos já, casa de Israel, todas as vossas maldades:

7. introduzistes filhos estrangeiros, incircuncidados de coração e incircuncidados de carne, para estarem no meu santuário, profanando a minha casa, quando oferecíeis os meus pães. a gordura e o sangue, quebrando assim, o meu pacto com todas as vossas abominações.

8. Não observastes as leis do meu santuário estabelecestes (estes incircuncidados) para fazer o meu serviço no meu santuário, em lugar de vós (violando deste modo os preceitos divinos).

9. Isto diz o Senhor Deus: Nenhum estrangeiro, incircuncidado de coração e incircuncidado de carne, entrará no meu santuário, nenhum filho de estrangeiro, que viva no meio dos filhos de Israel.

10. Até os levitas, que se apartaram de mim, entregando-se ao erro dos filhos de Israel, quando estes se desencaminharam, desando-me a mim para irem atrás dos seus ídolos, suportarão o castigo da sua iniquidade.

11. Serão no meu santuário simples porteiros guardas das portas da casa e seus serventes; matarão os (animais destinados aos) holocaustos e sacrifícios pelo povo, e estarão na sua presença para o servir.

12. Visto que lhe prestaram o seu ministério na presença dos seus ídolos, e foram para a casa de Israel uma ocasião de escândalo e de iniquidade, por isso levantei a minha mão contra eles, diz o Senhor Deus, e eles levarão o peso da sua iniquidade.

13. Não mais se aproximarão de mim, para exercer as funções do sacerdócio na minha presença nem para tocar nas coisas santas, no lugar santíssimo, mas levarão sobre si a sua confusão e o castigo das maldades que cometeram.

14. Constituí-los-ei (simples) guardas da casa e seus serventes, para tudo o que nela for preciso fazer.

15. Porém aqueles sacerdotes levíticos., filhos de Sadoc, que guardaram as ordenações do meu santuário, quando os filhos de Israel se desencaminharam de mim, esses aproximar-se-ão de mim para me servirem de ministros, estarão na minha presença para me oferecerem a gordura e o sangue, diz o Senhor Deus.

16. Esses é que entrarão no meu santuário, que se aproximarão da minha mesa, para o meu serviço, observando as minhas ordenações.

17. Quando eles entrarem nas portas do átrio interior, estarão vestidos de roupas de linho; não terão nada sobre si que seja de lã, quando exercerem as funções do seu ministério nos pórticos do átrio interior e dentro.

18. Terão turbantes de linho na cabeça, e calções de linho sobre os rins; não se cingirão de modo a excitar o suor.

19. Quando saírem ao átrio exterior (para irem) ao povo. tirarão os hábitos com que tiverem exercido o seu ministério e depô-los-ão nas câmaras do santuário; vestirão outros hábitos, para não santificarem o povo com as suas vestes (sagradas).

20. Não raparão a cabeça, nem deixarão crescer livremente o cabelo, mas terão cuidado de o cortar.

21. Nenhum sacerdote bebei-á vinho., quando tiver de entrar no átrio interior.

22. Não se casarão, nem com viúva nem com repudiada, mas com donzelas de linhagem da casa de Israel; poderão todavia casar com uma viúva doutro sacerdote.

23. Ensinarão ao meu povo a diferença que há entre o santo e o profano, entre o puro e o impuro.

24. Quando se levantar alguma controvérsia, prestar-se-ão a decidi-la; julgarão segundo o direito que estabeleci. Observarão as minhas leis e os meus preceitos, em todas as minhas solenidades, e santificai'ão os meus sábados.

25. Não se aproximarão dum cadáver, para que se não manchem excepto se for pai ou mãe, filho ou filha, irmão ou irmã que não tenha marido.

26. Depois que qualquer deles tiver sido purificado, contar-se-lhe-ão sete dias.

27. No dia em que entrar no santuário, no átrio, interior, para exercer o seu ministério no santuário oferecerá um sacrifício pelo seu pecado, diz o Senhor Deus.

28. (Os sacerdotes) não terão herança, porque eu é que sou a sua herança; não lhes dareis quinhão em Israel, porque eu é que sou o seu quinhão.

29. Alimentar-se-ão das oblações e das vítimas que forem oferecidas, tanto pelo pecado como pelo delito, tudo o que for consagrado em Israel, será deles.

30. As primícias de todos os primogênitos e todas as oferendas de qualquer espécie pertencerão aos sacerdotes; dareis também ao sacerdote as primícias dos vossos alimentos,, para que repouse a bênção sobre a vossa casa.

31. Os sacerdotes não comerão nada de ave, nem de outro animal, que por si tenham morrido, ou que tenham sido despedaçados.





“Seja paciente nas aflições que o Senhor lhe manda.” São Padre Pio de Pietrelcina