1. E tu pronuncia uma lamentação sobre os príncipes de Israel.

2. Dirás: Que era a tua mãe? Uma leoa entre leões; criava os seus filhos deitada no meio dos leõezinhos.

3. Criou um dos seus filhos, e ele se fez leão; aprendeu a despedaçar uma presa e devorou homens.

4. As nações ouviram falar dele, e ele foi apanhado no fosso delas. Levaram-no preso com cadeias para a terra do Egipto.

5. A mãe, vendo que a sua expectativa, que as suas esperanças se tinham malogrado, pegou noutro dos seus filhos e fez dele um (novo) leão.

6. Andava entre os leões, tornou-se leão; aprendeu a despedaçar a presa e devorou homens;

7. devastou os seus palácios e converteu em deserto as suas cidades; o país, com tudo o que nele havia, ficou amedrontado, ao ouvir os seus rugidos.

8. Juntaram-se contra ele as nações vizinhas, estenderam sobre ele a sua rede, e foi apanhado no fosso delas.

9. Meteram-no numa jaula, levaram-no ao rei de Babilônia, carregado de cadeias puseram-no numa fortaleza, para que se não tornasse mais a ouvir o seu rugido sobre os montes de Israel.

10. Tua mãe, sendo como uma videira plantada junto das águas, deu frutos e lançou folhagem, por causa das muitas águas.

11. Os seus ramos vigorosos vieram a ser ceptros de soberanos, e o seu tronco elevou-se no meio dos seus ramos frondosos. -Mostrou-se em (toda a) sua grandeza, com a multidão dos seus sarmentos.

12. Mas depois foi arrancada com ira, lançada por terra; o vento do oriente secou o seu fruto; foram quebrados e secaram-se os seus ramos robustos; fogo os devorou.

13. E agora ela foi transplantada para um deserto, para uma terra seca e árida.

14. Dos seus ramos saiu uma chama que devorou o seu fruto, e não mais houve nela ramo vigoroso. Ceptro de soberanos. Cântico lúgubre é este, e para pranto servirá.





“Deus sempre nos dá o que é melhor para nós.” São Padre Pio de Pietrelcina