1. Depois conduziu-me ao pórtico oriental.

2. E eis que entrava a glória do Deus de Israel pelo lado do oriente, com um ruído semelhante ao ruído das grandes águas, e a terra estava resplandecente pela (presença da) sua glória.

3. A visão que tive era semelhante à que tinha tido. quando vim para destruir a cidade, semelhante à que tinha tido junto do rio Cobar. Prostrei-me sobro o meu rosto.

4. A glória do Senhor entrou no templo pela porta oriental,

5. O espírito arrebatou-me e introduziu-me no átrio interior. E eis que a casa estava cheia da glória do Senhor.

6. Então ouvi alguém que me falava de dentro da casa, enquanto o homem estava junto de mim.

7. Disse-me: Filho de homem, este é o lugar do meu trono, o lugar onde assentarei os meus pés, onde habitarei para sempre entre os filhos de Israel; os da casa de Israel não profanarão mais para o futuro o meu santo nome, nem eles, nem os seus reis. com as suas fornicações (ou idolatrias), com os cadáveres dos seus reis e com os seus lugares altos.

8. Eles edificaram a sua porta junto da minha porta (ou templo), os postes da entrada da sua casa ao pé dos meus postes, de sorte que havia apenas um muro entre mim e eles; assim profanaram o meu santo nome pelas abominações que cometeram; por isso os consumi na minha ira. (ver nota)

9. Agora, porém, deitarão para longe de mim as suas prostituições e os cadáveres dos seus reis, e eu habitarei sempre no meio deles.

10. Tu filho de homem, mostra o templo à casa de Israel, pai-a que eles se confundam das suas iniquidades. Que meçam toda a sua fábrica.

11. Se se envergonharem de tudo o que fizeram, mostra-lhes a figura da casa (ou do templo), a sua disposição, as saídas e entradas do edifício, toda a sua traça, todos os preceitos acerca dela. toda a sua ordem e todas as suas leis; tudo isso porás, por escrito, diante dos seus olhos, a fim de que observem todas as indicações, todos os seus preceitos, e os cumpram.

12. Tal é a lei (ou norma) que se deve guardar na edificação da casa; Sobre o cume do monte, todo o espaço em roda é santíssimo. Tal é, pois, a lei da casa.

13. Eis as medidas do altar, em côvados (extraordinários que têm a medida) de um côvado (vulgar) e um palmo: a base era dum côvado de altura e dum côvado de largura; o seu rebordo, por todo o circuito, era de um palmo. Eis a altura do altar:

14. desde a base que estava na terra até ao primeiro rebordo havia dois côvados (de altura), e um côvado de largura; e desde o rebordo mais pequeno até ao maior havia quatro côvados, e a sua largura era dum côvado.

15. A parte (do altar) reservada a cremação (das vitimas) tinha quatro côvados; daí para cima levantavam-se quatro hastes.

16. A parte reservada à cremação tinha doze côvados de comprido e doze côvados de largo, em quadrado.

17. E a base era de catorze côvados de comprido e de catorze côvados de largo. O rebordo em roda dele era de meio côvado, a base era dum côvado em roda; os seus degraus estavam voltados para o oriente.

18. (O meu guia) disse-me: Filho de homem, assim fala o senhor Deus: Estas são as cerimônias que se devem observar a respeito do altar, quando for edificado, para que sobre ele se ofereça o holocausto e se derrame o sangue.

19. Darás aos sacerdotes levfticos, que são da linhagem de Sadoc, que se aproximam de mim, diz o Senhor Deus. para me servir, um novilho para sacrifício pelo pecado.

20. Tomarás do seu sangue e pô-lo-ás sobre os quatro remates do altar, sobre os quatro cantos do quadro e sobre a cornija ao redor. Assim farás a purificação e a expiação.

21. Depois tomarás o novilho que tiver sido oferecido pelo pecado, o qual será queimado num lugar separado da casa fora do santuário.

22. No segundo dia oferecerás pelo pecado um bode novo, sem defeito; purificar-se-á o altar, como se purificou com o novilho.

23. Depois que tiveres acabado de o purificar, oferecerás um novilho, sem defeito, e um carneiro do rebanho, também sem defeito.

24. Oferecê-los-ás na presença do Senhor; os sacerdotes deitarão sal sobre eles e oferecê-los-ão em holocausto ao Senhor.

25. Durante sete dias, oferecerás cada dia um bode pelo pecado, e da mesma sorte será oferecido um novilho da manada e um carneiro do rebanho, sem defeito.

26. Durante sete dias far-se-á a propiciação do altar, purificar-se-á e consagrar-se-á.

27. Passados os sete dias, ao oitavo dia e nos seguintes., os sacerdotes oferecerão sobre o altar os vossos holocaustos e os vossos sacrifícios pacíficos, e eu me reconciliarei convosco, diz o Senhor Deus.





“Quanto mais te deixares enraizar na santa humildade, tanto mais íntima será a comunicação da tua alma com Deus”. São Padre Pio de Pietrelcina