1. Tu, filho de homem, pega num tijolo, coloca-o diante de ti e desenha nele uma cidade: Jerusalém,

2. Delinearás um assédio contra ela, levantarás fortificações, farás trincheiras, assentarás um exército contra ela e colocarás aríetes ao redor.

3. Toma também uma frigideira de ferro e põe-na como um muro de ferro entre ti e a cidade; depois olha para ela; ela será sitiada, e tu a sitiarás. Isto é um sinal para a casa de Israel.

4. Em seguida deita-te sobre o teu lado esquerdo e põe sobre ele as iniquidades da casa de Israel; durante os dias em que dormires sobre ele, tomarás sobre ti as suas iniquidades.

5. Conto-te um dia por cada ano da iniquidade deles: trarás sobre ti, durante trezentos e noventa dias, a iniquidade da casa de Israel.

6. Depois que tiveres cumprido isto, deitar-te-ás segunda vez, (mas) sobre o teu lado direito, e tomarás sobre ti a iniquidade da casa de Judá durante quarenta dias; conto-te, por cada dia, um ano.

7. Voltarás o teu rosto para Jerusalém sitiada, estenderás o teu braço nu, e assim profetizarás contra ela.

8. Eis que te rodeei de cadeias, e não te poderás voltar de um lado para outro, enquanto não cumprires os dias da tua reclusão.

9. Toma também trigo, cevada, favas, lentilhas milho e espelta, põe tudo isto dentro dum vaso e faze para ti pães, conforme o número dos dias que hás-de dormir sobre o teu lado; comerás deles durante trezentos e noventa dias.

10. A comida de que te hás-de sustentar, será do peso de vinte siclos por dia; no tempo fixado (uma vez por dia) a comerás.

11. Hás-de beber também a água por medida, (isto é) a sexta parte dum hin; tu a beberás no tempo marcado.

12. O pão, tu o comerás, como uma torta de cevada, cozida sobre excrementos humanos, à vista deles. (ver nota)

13. E o Senhor disse: Assim comerão os filhos de Israel o seu alimento imundo entre as gentes, para onde eu os lançarei.

14. Então eu disse: Ai, Senhor Deus. a minha alma não está manchada! Desde a minha infância até agora, jamais comi coisa morta, ou despedaçada pelas feras, nem na minha boca entrou carne alguma imunda.

15. Ele disse-me: Eis aí te dou esterco de bois em lugar de excremento humano; farás cozer sobre ele o teu pão.

16. Depois disse-me; Filho de homem, vou quebrar o báculo do pão em Jerusalém; comerão o pão por peso e com sobressalto, e beberão a água por medida e com angústia,

17. de modo que, faltando-lhes o pão e a água, serão todos juntamente consumidos e perecerão por causa das suas Iniquidades.





“Tente percorrer com toda a simplicidade o caminho de Nosso Senhor e não se aflija inutilmente.” São Padre Pio de Pietrelcina