1. O Senhor falou a Moisés e a Aarão, dizendo:

2. Dizei aos filhos de Israel: Estes são os animais que deveis comer entre todos os animais da terra.

3. Dentre os quadrúpedes comereis todo o que tem a unha fendida, e rumina.

4. Porém, todo o que rumina e tem unha mas não fendida, como o camelo e os outros, não o comereis, e contá-lo-eis entre os (animais) impuros.

5. O coelho, que rumina, mas não tem a unha fendida, é impuro.

6. Igualmente a lebre, que rumina mas não tem a unha fendida,

7. e o porco, o qual tem a unha fendida, mas não rumina.

8. Não comereis das carnes destes animais, nem tocareis os seus cadáveres, porque são impuros para vós.

9. Eis os animais aquáticos dos quais é lícito comer: Todos os que tem barbatanas e escamas, tanto no mar, como nos rios e nos lagos, comê-los-eis.

10. Mas tudo o que se move e vive nas águas sem ter barbatanas nem escamas, será abominável para vós

11. e execrando: não comereis as suas carnes, e evitareis (tocar) seus corpos mortos.

12. Todos os animais aquáticos que não têm barbatanas nem escamas serão (para vós) impuros.

13. Entre as aves são estas que não deveis comer, e devem ser evitadas: a águia, o grifo e a águia marinha,

14. o milhano, o abutre com os da sua espécie,

15. o corvo e todas as espécies semelhantes ao corvo,

16. o avestruz, a coruja, a gaivota, o açor e tudo o que é da sua espécie,

17. o mocho, o corvo marinho, o íbis,

18. o cisne, o pelicano, o porfirião,

19. a cegonha e o corvo marinho com os da sua espécie, a poupa e o morcego.

20. Todo o volátil que anda sobre quatro patas será abominável para vós.

21. Todo o animal volátil porém, que assim anda sobre quatro patas, mas tem mais compridas as posteriores, com que salta sobre a terra,

22. podeis comê-lo, e tal é o brugo na sua espécie, o ataco, o ofíómaco e o gafanhoto, cada um na sua espécie.

23. Mas os insectos alados que têm sòmente quatro patas, serão execráveis para vós;

24. todo o que tocar os seus corpos mortos, ficará contaminado e será impuro até à tarde;

25. se for necessário que ele leve algum destes animais mortos, lavará as suas vestes e ficará imundo até ao pôr do sol.

26. Todo o animal que tem unha, mas sem ser fendida, e que não rumina, será impuro; aquele que o tocar, ficará contaminado.

27. De todos os animais quadrúpedes, aqueles que andam sobre a planta dos pés serão impuros; aquele que tocar os seus corpos mortos, ficará impuro até à tarde,

28. e o que levar estes cadáveres, lavará as suas vestes e ficará impuro até à tarde. Todos estes (animais) são impuros para vós.

29. Também entre os animais, que se movem sobre a terra, se deverão reputar como impuros os seguintes: a doninha, o rato e o crocodilo, cada um segundo a sua espécie,

30. o musaranho, o camaleão, a salamandra, o lagarto e a toupeira.

31. Toldos estes animais são impuros. Aquele que tocar os seus corpos mortos, ficará impuro até à tarde.

32. Tudo aquilo sobre que cair alguma coisa dos seus cadáveres, ficará contaminado, quer seja um vaso de pau, ou uma veste ou uma pele, ou um pano da Cilícia: qualquer instrumento que serve para fazer alguma obra, se lavará em água, e será impuro até à tarde, e deste modo será depois purificado. (ver nota)

33. Mas o vaso de barro, dentro do qual cair alguma coisa destas, ficará contaminado, e por isso se deve quebrar.

34. Todo o alimento que comerdes, se se derramar água (destes vasos contaminados) sobre ele, será impuro: todo o líquido que se bebe de qualquer vaso (contaminado), será impuro.

35. Se alguma coisa destes animais mortos cair sobre um objecto, este ficará impuro; ou sejam fornos ou marmitas, deverão destruir-se; serão impuros.

36. As fontes, porém, as cisternas e todos os depósitos de água serão puros. Aquele que tocar o corpo morto destes animais, ficará impuro.

37. Se cair (alguma coisa desse corpo) sobre semente, não a tornará impura.

38. Mas, se alguém derramar água sobre a semente, e esta depois for tocada por algum destes corpos mortos, imediatamente ficará contaminada.

39. Se morrer algum daqueles animais, que vos é licito comer, aquele que tocar o seu cadáver, ficará impuros até à tarde

40. o que conter alguma coisa dele, ou tiver levado alguma porção, lavará as suas vestes e ficará impuro até à tarde.

41. Tudo o que anda de rastos sobre a terra, será abominável, e não será usado como alimento.

42. Não comereis nenhum daqueles animais rastejantes, quer se arrastem sobre o ventre quer se movam com quatro ou com muitas patas. Considerá-lo-eis coisa abominável.

43. Não vos torneis abomináveis por todos estes animais rastejantes, nem toqueis alguma destas coisas, para não ficardes impuros.

44. Eu sou o Senhor vosso Deus; sêde santos, porque eu sou santo; não vos mancheis com o toque de algum réptil que se arrasta sobre a terra.

45. Porque eu sou o Senhor, que vos tirei da terra do Egipto para ser o vosso Deus. Vós sereis santos, porque eu sou santo.

46. Esta é a lei sobre os quadrúpedes, as aves, e sobre todo o animal vivente, que se move na água, ou que anda de rastos pela terra,

47. a fim de que vós conheçais a diferença entre o puro e o impuro, e saibais o que deveis comer e o que deveis rejeitar.





“Como é belo esperar!” São Padre Pio de Pietrelcina