1. No ano sexto, no sexto mês, aos cinco do mês, quando eu estava sentado em minha casa e estavam sentados diante de mim os anciães de Judá, caiu sobre mim a mão do Senhor Deus.

2. E tive uma visão; Era uma figura que tinha o aspecto de fogo; dos seus rins para baixo, era de fogo; e dos rins para cima, era como uma luz resplandecente, como um metal brilhante.

3. E estendeu uma semelhança de mão, tomou-me por uma madeixa da minha cabeça; e o espírito levantou-me entre a terra e o céu, e levou-me a Jerusalém, em visões divinas, pondo-me junto da porta interior que olha para a banda do aquilão, onde tinha sido colocado o ídolo do ciúme, que provoca a emulação (de Deus).

4. E eis que aparecia ali a glória do Deus de Israel, conforme a visão que eu tinha tido no descampado,

5. Ele disse-me: Filho de homem, levanta os teus olhos para o norte. Levantei os olhos para o norte e vi ao norte da porta do altar aquele ídolo do ciúme, à entrada.

6. E ele disse-me: Filho de homem, vês o que fazem estes, as grandes abominações que a casa de Israel comete aqui, para que me retire para longe do meu santuário? Pois verás abominações ainda maiores,

7. Conduziu-me à entrada do átrio, e vi que havia ali um buraco na parede.

8. E disse-me: Filho de homem, escava a parede. Tendo eu escavado a parede, apareceu uma porta.

9. E ele disse-me: Entra e vê as péssimas abominações que estes aqui cometem.

10. Tendo entrado, vi que havia ali imagens de toda a sorte de répteis e de animais imundos, e que ídolos da casa de Israel estavam pintados na parede por toda a roda.

11. Setenta homens dos anciães da casa de Israel estavam em pé diante dos ídolos e Jezomas, filho de Safam, também em pé no meio, deles, tendo cada um na sua mão um turíbulo, donde se elevava o fumo do incenso, como uma névoa.

12. E ele disse-me: Vês bem, filho de homem, o que os anciães da casa de Israel fazem nas trevas, o que cada um deles pratica no segredo da sua câmara, ornada de ídolos? Com efeito, eles dizem: O Senhor não nos vê, o Senhor retirou-se da (nossa) terra.

13. Então disse-me ele: Verás ainda muitas outras grandes abominações que estes cometem.

14. E levou-me a entrada da porta da casa do Senhor, que olha para a banda do aquilão, e eis que estavam ali umas mulheres sentadas, chorando Adónis.

15. Ele disse-me: Viste, filho de homem? (Pois) ainda adorado, maiores abominações do que estas.

16. Introduziu-me, então, no átrio interior da casa do Senhor; e eis que se achavam à porta do templo do Senhor, entre o vestíbulo e o altar, uns vinte e cinco homens, que tinham as costas voltadas para o templo do Senhor, e o rosto voltado para o oriente, os quais se prostravam, para o oriente, diante do Sol. (ver nota)

17. E ele disse-me: Viste, filho de homem; Porventura é coisa pouca, para a casa de Judá, fazer as abominações que têm feito aqui? (Será preciso que) vão ainda encher a terra de iniquidade e irritar-me sem cessar? E eis que chegam ao seu nariz um ramo.

18. Pois também eu os tratarei com rigor, o meu olho não os poupará, não me compadecerei deles: quando me gritarem aos ouvidos em alta voz, não os atenderei.





“O bem dura eternamente.” São Padre Pio de Pietrelcina