1. Não te glories pelo dia de amanhã, pois sabes o que dará de si o dia seguinte.

2. Seja outro quem te louve, e não a tua própria boca; seja um estranho, é não os teus próprios lábios.

3. A pedra é pesada, e pesada a areia, mas a ira do insensato pesa mais do que uma e outra.

4. Seja muito embora cruel a ira e impetuosa a cólera, quem poderá suportar o ciúme?

5. Melhor é a correcção manifesta, do que o amor escondido. (ver nota)

6. Melhores são as feridas feitas pelo que ama, do que os ósculos fraudulentos do que quer mal. O que está saciado calcará aos pés o favo de mel, e o faminto até o amargo tomará por doce.

8. Assim como (periga) a ave que sai do seu ninho, assim o homem que abandona o seu lugar.

9. Com o perfume e o incenso se deleita o coração; com os bons conselhos do amigo se banha a alma em doçura.

10. Não deixes o teu amigo, nem o amigo de teu pai; e não vás à casa de teu irmão no dia em que estiveres aflito. Vale mais o vizinho que está perto, do que o irmão que está longe. (ver nota)

11. Trabalha, meu filho, por adquirir a sabedoria e alegra o meu coração, a fim de eu poder responder ao que me impropera.

12. O prudente, vendo o mal, escondeu-se: os imprudentes passaram adiante e sofreram os danos.

13. Tira a veste áquele que ficou por fiador de outrem, toma o penhor que deve aos estranhos.

14. Aquele que louva o seu vizinho em alta voz. de madrugada, será semelhante ao que diz mal dele. (ver nota)

15. Os telhados que gotejam, em dia de chuva, e a mulher litigiosa parecem-se.

16. Aquele que a pretende conter é como se quisesse fazer para o vento, ou reter o azeite na mão.

17. O ferro aguça o ferro, e o homem apura o homem.

18. Aquele que guarda a figueira comerá do seu fruto; e o que guarda o seu senhor será glorificado.

19. Assim como na água o rosto (corresponde) ao rosto, assim o coração do homem (corresponde) ao homem.

20. A morada dos mortos e o abismo nunca se enchem; assim também os olhos dos homens são insaciáveis.

21. Assim como a prata é provada no cadinho e o oiro na fornalha, assim o homem é provado pela boca do que o louva.

22. Ainda que pisasses o néscio num gral, como se pisam os grãos com o pilão, não separarias dele a sua estultícia.

23. Conhece diligentemente o estado da tua grei, atende aos teus rebanhos,

24. porque nem sempre dura a riqueza, nem a tua coroa passará de geração em geração.

25. Abrem-se os prados, brotam as verdes ervas, recolhe-se o feno dos montes.

26. Os cordeiros são para te vestires, e os cabritos para comprares um campo. Basta-te o leite das cabras para o teu sustento, para o sustento da tua família e para manter as tuas escravas.





“Jesus e a sua alma devem cultivar a vinha de comum acordo.” São Padre Pio de Pietrelcina