1. Azarias, filho de Obed, movido pelo espírito de Deus,

2. foi ao encontro de Asa e disse-lhe: Ouvi-me, Asa e todos vós, povo de Judá e de Benjamim: O Senhor foi convosco, porque vós fostes com ele. Se o buscardes, achá-lo-eis, mas, se o abandonardes, ele vos abandonará.

3. Muito tempo passou Israel sem o verdadeiro Deus, sem sacerdote que instruísse, sem lei.

4. Quando eles, na sua angústia, se converteram para o Senhor Deus de Israel e o buscaram, ele deixou-se achar por eles.

5. Nesse tempo não havia paz para o que saía nem para o que entrava, mas de todas as partes havia terror em todos os habitantes da terra,

6. porque se levantava uma nação contra outra nação, uma cidade contra outra cidade, pois o Senhor os conturbava com toda a sorte de aflições.

7. Vós, porém, ganhai coragem, não se enfraqueçam as vossas mãos, porque a vossa obra será recompensada.

8. Asa, ouvindo o oráculo do profeta Azarias, filho de Obeb, cobrou ânimo e exterminou os ídolos de todas as cidades da terra de Judá e de Benjamim, assim como das cidades do monte de Efraim, que ele tinha tomado, e restaurou o altar do Senhor, que estava diante do átrio do Senhor.

9. Congregou todo o povo de Judá e de Benjamim, bem como os (vindos) de Efraim, de Manassés e de Simeão, porque tinham fugido para ele muitos Israelitas, vendo que o Senhor seu Deus era com ele.

10. Tendo chegado a Jerusalém no terceiro mês do ano décimo quinto do reinado de Asa,

11. imolaram ao Senhor naquele dia setecentos bois e sete mil carneiros, dos despojos e da presa que tinham levado.

12. O rei entrou, segundo o costume, para confirmar a aliança (ou promessa) de buscarem, de todo o seu coração e de toda a sua alma, o Senhor Deus de seus pais.

13. Se alguém, disse ele, não buscar o Senhor Deus de Israel, morra, desde o pequeno até ao maior, desde o homem até à mulher.

14. Prestaram juramento ao Senhor em altas vozes, ao toque das trombetas e ao som de buzinas,

15. todos os que estavam em Judá, alegrando-se com o juramento, porque o fizeram de todo o seu coração; buscaram a Deus com toda a sua vontade e encontraram-no, e o Senhor deu-lhes paz com todos os seus vizinhos.

16. Asa tirou, também, a Maaca, sua mãe, o título de rainha, porque ela tinha levantado um ídolo de Astarte, o qual ele quebrou e, fazendo e em pedaços, queimou no vale de Cedron.

17. Ainda, porém, ficaram em Israel os lugares altos: não obstante, o coração de Asa foi perfeito em todos os seus dias.

18. Levou para o templo do Senhor o que seu pai e ele tinham prometido com voto, prata, ouro, e diversas espécies de vasos.

19. Não houve guerra até ao ano trigésimo quinto do reinado de Asa.





Jesus lhe quer bem, da maneira que só Ele sabe amar.” São Padre Pio de Pietrelcina