1. Rogo-vos, pois, eu, prisioneiro no Senhor, que andeis de um modo digno de vocação a que fostes chamados,

2. com toda a humildade, mansidão e paciência, suportando-vos uns aos outros por caridade,

3. solícitos em conservar a unidade do espírito pelo vínculo da paz.

4. Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados a uma só esperança pela vossa vocação. (ver nota)

5. Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.

6. Há um só Deus e Pai de todos, que está acima de todos, que opera em todos e está em todos.

7. Mas a cada um de nós foi repartida a graça segundo a medida do dom de Cristo.

8. Pelo que (a Escritura) diz: Tendo subido ao alto, levou cativos e distribuiu dons pelos homens (Ps. 67, 19).

9. Ora, que significa subiu, senão que também antes tinha descido aos lugares mais baixos da terra?

10. Aquele que desceu, é aquele mesmo que também subiu acima de todos os céus para cumprir todas as coisas.

11. A uns constituiu apóstolos, a outros profetas, a outros evangelistas, a outros pastores e doutores,

12. para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, em vista da edificação do corpo de Cristo,

13. até que cheguemos todos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito, segundo a estatura própria da plenitude de Cristo,

14. para que não mais sejamos meninos flutuantes e levados ao sabor de todo o vento de doutrina, pela malignidade dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.

15. Porém, praticando a verdade na caridade, cresçamos de todas as formas naquele que é cabeça, o Cristo. (ver nota)

16. É por ele que o corpo inteiro, coordenado e unido por meio de todos os ligamentos que o servem, segundo uma operação proporcionada a cada membro, opera o próprio crescimento, em ordem à sua edificação na caridade (que é a alma deste corpo ou edifício espiritual).

17. Isto, pois, vos digo e rogo no Senhor: não andeis mais como os gentios, que andam na frivolidade dos seus pensamentos,

18. que têm o entendimento obscurecido (e estão) afastados da vida de Deus pela ignorância que há neles, por causa da ceguira do seu coração,

19. os quais, de consciência embotada, se entregaram à libertinagem, para cometerem apaixonadamente toda a espécie de impureza.

20. Mas vós não aprendestes assim (a conhecer) Cristo,

21. se é que ouvistes pregar dele, e fostes ensinados nele, segundo a verdade que está em Jesus,

22. a vos despojardes, pelo que diz respeito ao vosso passado, do homem velho, o qual se corrompe pelas paixões enganadoras,

23. a renovar-vos no vosso espírito e nos vossos pensamentos,

24. e a revestir-vos do homem novo, criado segundo Deus na justiça e na santidade verdadeiras.

25. Pelo que, renunciando à mentira, fale cada um a seu próximo a verdade (Zc. 8, 16), pois somos membros uns dos outros (no mesmo corpo místico que tem Cristo por cabeça).

26. Se vos irardes, não pequeis (Ps. 4, 5); não se ponha o sol sobre a vossa ira. (ver nota)

27. Não deis lugar ao demônio (entregando-vos à ira ) ;

28. aquele que furtava, não furte mais, mas antes ocupe-se, trabalhando com suas mãos em qualquer coisa honesta, a fim de ter que dar ao que está em necessidade.

29. Nenhuma palavra má saia da vossa boca, mas só palavras boas para edificação, de maneira que façam bem aos que ouvem.

30. Não entristeçais (com vossos pecados) o Espírito Santo de Deus, pelo qual fostes marcados com um selo para o dia da redenção.

31. Toda a amargura, animosidade, cólera, clamor e maledicência, com toda a espécie de malícia, seja banida dentre vós.

32. Pelo contrário, sede benignos uns para com os outros, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou por Cristo.





“Deus sempre nos dá o que é melhor para nós.” São Padre Pio de Pietrelcina