1. Salomão mandou trazer e colocar nos tesouros da casa de Deus tudo o que, Davide, seu pai, tinha oferecido; a prata, o ouro e todos os vasos.

2. Depois disto convocou em Jerusalém todos os anciães de Israel, todos os príncipes das tribos, e os chefes de famílias dos filhos de Israel, para transportarem a arca da aliança do Senhor da cidade de Davide, que é Sião.

3. Foram à presença do rei todos os varões de Israel no dia solene do sétimo mês,

4. e tendo chegado todos os anciães de Israel, os Levitas levaram a arca

5. e introduziram-na (no templo), com tudo o que pertencia ao tabernáculo. Os sacerdotes com os Levitas levaram os vasos do santuário, que havia no tabernáculo.

6. Entretanto o rei Salomão, todo o povo de Israel, todos os que se tinham reunido diante da arca, imolavam carneiros e bois sem número, tão grande era a quantidade das vítimas.

7. Os sacerdotes puseram a arca da aliança do Senhor no lugar, isto é, no santuário do templo, no Santo dos Santos, debaixo das asas dos querubins,

8. de modo que os querubins estendiam as suas asas sobre o lugar em que a arca estava posta, e cobriam a mesma arca e os seus varais.

9. Estes eram bastante compridos para que as suas extremidades pudessem ser vistas de diante do santuário; mas, se alguém estava um tanto fora, já não os podia ver. Ali tem estado a arca até ao dia de hoje.

10. Na arca não havia outra coisa além das duas tábuas que Moisés ali tinha posto em Horeb, quando o Senhor deu a lei aos filhos de Israel, na sua saída do Egito.

11. Logo que os sacerdotes saíram do santuário, (porque todos os sacerdotes que puderam achar-se ali, se purificaram, visto que naquele tempo ainda não estavam distribuídos entre eles os turnos e ordem dos ministérios),

12. tanto os Levitas como os cantores, isto é, os que estavam debaixo da direção de Asaf, e os que estavam debaixo da direção de Heman e de Iditun, seus filhos e irmãos, revestidos de vestes de linho fino, tocavam címbalos, cítaras e harpas, postos em pé, do lado oriental do altar, acompanhados de cento e vinte sacerdotes, que tocavam trombetas.

13. Quando, nesse momento, todos formavam um concerto com as trombetas, as vozes, os címbalos e outros instrumentos músicos, quando louvavam ao Senhor, dizendo: bem-dizei o Senhor, porque é bom e porque a sua misericórdia, é eterna — encheu-se a casa de Deus de uma nuvem,

14. e os sacerdotes não podiam estar (ali), nem exercer as suas funções, por causa da nuvem, pois a glória do Senhor tinha enchido a casa de Deus.





“E’ na dor que o amor se torna mais forte.” São Padre Pio de Pietrelcina