1. No sétimo ano, Jojada, cheio de intrepidez, tomou consigo os centuriões, a saber; Azarias, filho de Jeroão, Ismael, filho de Joanão, Azarias, filho de Obed, Maasias, filho de Adaia, Elisafat, filho de Zecri, e coligou-se com eles.

2. Eles, tendo percorrido Judá, congregaram os levitas de todas as cidades de Judá e os chefes das famílias de Israel, e foram a Jerusalém.

3. Toda esta multidão fez liga com o rei na casa de Deus. Jojada disse-lhes: Eis aqui o filho do rei, que deve reinar, segundo aquilo que o Senhor disse a favor dos descendentes de Davide.

4. Eis o que deveis fazer:

5. A terça parte de vós, sacerdotes, Levitas e porteiros, que entrais de serviço no templo, ao sábado, estará às portas; a outra terça parte colocar-se-á junto ao palácio do rei; a outra terça à porta, que se chama do Fundamento. Todo o resto do povo estará nos átrios da casa do Senhor.

6. Nenhum outro entre na casa do Senhor, senão os sacerdotes e os Levitas que estão de serviço; entrem sòmente estes, porque estão santificados; todo o resto do povo esteja guardando a porta da casa do Senhor.

7. Os Levitas rodearão o rei, tendo cada um as suas armas; se algum outro entrar no templo, seja morto. Acompanhareis o rei, quando ele entrar ou quando sair.

8. Os Levitas, pois, e todo o Judá executaram tudo o que o pontífice Jojada lhes tinha ordenado. Cada um tomou os que tinha às suas ordens, aqueles que entravam, tanto os que principiavam como os que acabavam o serviço, ao sábado, porque o pontífice e Jojada não tinha dispensado nenhuma das turmas, que costumavam suceder umas às outras todas os semanas.

9. O sacerdote Jojada deu aos centuriões as lanças e os escudos, tanto os grandes como os pequenos, do rei Davide, os quais ele tinha consagrado na casa do Senhor.

10. Depois dispôs todo o povo armado de espadas na mão, desde o lado direito do templo até ao lado esquerdo do templo, diante do altar e do templo, de forma a rodear o rei.

11. Então trouxeram o filho do rei, puseram-lhe a corôa na cabeça e o testemunho, deram-lhe a lei, para que a tivesse na mão, e proclamaram-no rei. O pontífice Jojada e seus filhos ungiram-no, aclamando-o aos gritos de: Viva o rei!

12. Atalia, tendo ouvido a voz dos que corriam e aclamavam o rei, apresentou-se ao povo no templo do Senhor.

13. Quando viu o rei posto de pé sobre um estrado, à entrada, e os príncipes e as tropas, ao redor dele, e todo o povo do país muito alegre; (quando ouviu) o toque das trombetas e os cantares, ao som de vários instrumentos, a dirigirem os cânticos de louvor, rasgou os seus vestidos e disse: Traição! traição!

14. Então o sacerdote Jojada, aproximando-se dos centuriões e dos chefes do exército, disse-lhes: Tirai-a para fora do recinto do templo, por entre as vossas fileiras; se alguém a seguir, seja morto à espada. Com efeito, o sacerdote ordenara que não fosse morta na casa do Senhor.

15. E agarraram-na pelo pescoço; e, quando ela tinha entrado a porta dos cavalos da casa do rei, ali a mataram.

16. Jojada fez aliança entre si e todo o povo e o rei, pela qual seriam o povo do Senhor.

17. Todo o povo entrou no templo de Baal e o destruiu; despedaçou altares e imagens e matou, diante dos altares, Matam, sacerdote de Baal.

18. Jojada estabeleceu oficiais para a guarda do templo do Senhor, subordinados aos sacerdotes e aos Levitas, segundo a distribuição que deles tinha feito Davide na casa do Senhor, para oferecerem holocaustos ao Senhor, como está escrito na lei de Moisés, com alegria e com cânticos, segundo a determinação de Davide.

19. Pôs também porteiros às portas da casa do Senhor, para nela não entrar imundo algum, por qualquer motivo que fosse.

20. Tomou os centuriões, os homens mais valentes e os chefes do povo, com toda a gente do país, e fez descer o rei da casa do Senhor. Entraram pela porta superior para o palácio do rei e puseram-no sobre o trono real.

21. Todo o povo do país se alegrou e a cidade ficou em paz. Atalia foi morta à espada.





“O grau sublime da humildade é não só reconhecer a abnegação, mas amá-la.” São Padre Pio de Pietrelcina