1. Ao que é fraco na fé, acolhei-o sem discutir (suas) opiniões.

2. Um crê que pode comer de tudo; o outro, porém, que é fraco, come (sòmente) legumes. (ver nota)

3. O que come de tudo, não despreze o que não come de tudo; e o que não come de tudo, não julgue o que come de tudo, porque Deus o recebeu.

4. Quem és tu para julgar o servo alheio? Se ele está de pé ou cai, isso é com o seu senhor; mas ele estará de pé, porque Deus é poderoso para o sustentar.

5. Um distingue entre dia e dia; outro, porém, considera iguais todos os dias: cada um siga o seu parecer. (ver nota)

6. O que distingue o dia, para o Senhor o distingue; o que come de tudo, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come de tudo, não come para o Senhor e dá (também) graças a Deus. (ver nota)

7. Com efeito, nenhum de nós vive para si mesmo e nenhum de nós morre para si mesmo.

8. De facto, se vivemos, vivemos para o Senhor; se morremos, morremos para o Senhor. Logo, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor.

9. Precisamente, por isto, é que Cristo morreu e ressuscitou: para ser Senhor dos mortos e dos vivos.

10. Mas tu, por que julgas o teu irmão? E tu por que desprezas o teu irmão? Pois todos compareceremos ante o tribunal de Cristo.

11. Está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará o joelho e toda a língua dará louvor a Deus (Is. 45, 23).

12. Portanto, cada um de nós dará conta de si a Deus.

13. Não nos julguemos, pois, mais uns aos outros; proponde antes não pôr tropeço ou escândalo ao vosso irmão.

14. Eu sei e confio no Senhor Jesus que nenhuma coisa (de alimento) é impura por si mesma, senão para aquele que a tem por tal, para esse é que ela é impura.

15. Ora se, por causa de um alimento, teu irmão fica contrístado, já não andas segundo a caridade. Não percas, por causa do teu alimento, aquele por quem Cristo morreu.

16. Não façais que seja objecto de critica o que é vosso bem.

17. Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e gozo no Espírito Santo.

18. Quem deste modo serve a Cristo, agrada a Deus e é aprovado pelos homens.

19. Sigamos, pois, as coisas que contribuem para a paz e para a edificação mútua.

20. Não queiras destruir a obra de Deus por causa de um alimento. Todas as coisas na verdade são puras, mas faz mal o homem que come com escândalo.

21. É bem não comer carne, nem beber vinho, nem fazer coisa em que teu irmão encontre ocasião de queda.

22. Guarda para ti, diante de Deus, a tua convicção. Feliz aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova.

23. Mas, o que come, apesar das suas dúvidas, é condenado, porque não agiu segundo uma convicção. E tudo o que não é segundo a convicção, é pecado.





“Somente por meio de Jesus podemos esperar a salvação.” São Padre Pio de Pietrelcina