1. Os Filisteus, juntando as suas tropas para combater (contra Israel), reuniram-se em Soco de Judá. Acamparam entre Soco e Azeca, nos confins de Efes-Dammin.

2. Saul e os filhos de Israel reuniram-se (também), foram para o vale do Terebinto e formaram o exército em batalha para combater contra os Filisteus.

3. Os Filisteus estavam dum lado sobre um monte, e Israel estava do outro lado sobre (outro) monte. Havia um vale entre eles.

4. Saiu do campo dos Filisteus um desafiador, chamado Golias, de Get, que tinha seis côvados e um palmo de altura.

5. Trazia na cabeça um capacete de bronze e estava vestido duma couraça escameada; o peso da couraça era de cinco mil siclos de bronze. (ver nota)

6. Trazia nas pernas escarcelas de bronze, e um escudo de bronze cobria os seus ombros.

7. A baste da sua lança era como o órgão dum tear, e o ferro da sua lança pesava seiscentos siclos de ferro; o seu escudeiro vinha diante dele.

8. Posto em pé, clamava para os esquadrões de Israel, dizendo-lhes: Por que viestes dispostos para a batalha? Porventura não sou eu um Filisteu, e vós os escravos de Saul? Escolhei entre vós um homem, que venha bater-se (comigo) só por só.

9. Se ele puder combater comigo e me tirar a vida, nós seremos vossos escravos; mas se eu prevalecer e o matar, vós sereis nossos escravos, servir-nos-eis.

10. O Filisteu acrescentou: Eu hoje desafiei os esquadrões de Israel, dizendo: Dai-me um homem, que saia a bater-se comigo, só por só.

11. Saul e todos os Israelitas, ouvindo estas palavras do Filisteu, estavam atônitos e temiam em extremo.

12. Ora Davide era filho daquele homem Efrateu, de Belém de Judá, do qual acima falamos, chamado Isaí, que tinha oito filhos, e era um dos mais velhos, dos mais idosos, do tempo de Saul.

13. Os seus três filhos maiores tinham seguido Saul para a guerra; os nomes dos seus três filhos que tinham ido à guerra (eram) Ellab, o primogênito, Abinadab, o segundo, e Sama o terceiro.

14. Davide era o mais pequeno. Tendo os três maiores seguido Saul,

15. Davide deixou Saul e voltou a apascentar o rebanho de seu pai em Belém

16. O Filisteu apresentava-se de manhã e de tarde, e continuou assim durante quarenta dias.

17. Isaí disse a seu filho Davide: Toma para teus irmãos um efi de grão torrado e estes dez pães, e corre (a levá-los) a teus irmãos, ao acampamento;

18. levarás também estes dez queijos ao chefe do seu milhar; visitarás os teus irmãos, para ver se estão bem, e informa- te em que companhia servem.

19. Saul e eles, e todos os filhos de Israel, combatiam contra os Filisteus no vale de Terebinto.

20. Davide levantou-se de manhã, confiou o rebanho a um guarda, e, carregado, pôs-se a caminho, como Isaí lhe tinha mandado. Chegou ao acampamento, quando o exército, tendo saído a dar batalha, gritava em sinal de combate.

21. Israel tinha posto em ordem as suas tropas, mas também os Filisteus do outro lado se tinham preparado para os atacar.

22. Davide, deixando as bagagens, que tinha levado, entregues ao cuidado do guarda das bagagens, correu ao lugar da batalha e Informava-se se tudo corria bem aos seus Irmãos.

23. Quando ele lhes estava ainda falando, apareceu aquele desafiador, chamado Golias, Filisteu, de Get, vindo do campo dos Filisteus, a dizer as mesmas palavras (do costume), que Davide ouviu.

24. Todos os Israelitas, tendo visto este homem, fugiram da sua presença, porque o temiam muito.

25. Um dos (soldados) de Israel disse: Não vistes esse homem, que avançou (para combater)? Ele veio para desafiar Israel. Ao homem que o matar, o rei encherá de grandes riquezas, dar-lhe-á por mulher sua filha e isentará a casa de seu pai de tributos de Israel.

26. Davide falou aos que estavam junto dele, dizendo: Que será dado a quem matar este Filisteu e tirar o opróbrio de Israel? Quem é este Filisteu incircuncidado, que insultou o exército do Deus vivo?

27. O povo repetia-lhe as mesmas palavras, dizendo; Dar-se-á isto e isto a quem o matar.

28. Enquanto ele falava assim com os outros, Eliab, seu irmão mais velho, irou-se contra ele e disse: Por que vieste cá e deixaste no deserto essas poucas ovelhas? Eu conheço a tua soberba e a maldade do teu coração; tu vieste para ver o combate.

29. Davide disse: Que fiz eu? Não é porventura uma (simples) palavra (que pronunciei)?

30. E apartou-se um pouco dele, para (se dirigir) a um outro, e disse a mesma coisa. O povo respondeu-lhe como da primeira vez.

31. Foram ouvidas as palavras que Davide disse e foram referidas a Saul.

32. Tendo sido conduzido Davide perante ele, disse-lhe: Não desfaleça o coração de ninguém por causa deste Filisteu! Eu, teu servo, irei e combaterei contra ele.

33. Saul disse a Davide; Tu não poderás resistir a este Filisteu, nem combater contra ele, porque és um rapaz, e ele é um homem guerreiro desde a sua mocidade.

34. Davide disse a Saul: Quando teu servo apascentava o rebanho de seu pai, e vinha um leão ou um urso, que levava um carneiro do meio do rebanho,

35. eu corria atrás deles, feria-os e arrancava-lhes (a presa) da guela; se eles se levantavam contra mim, eu agarrava-os pela guela e os estrangulava e matava.

36. Foi assim que eu, teu servo, matei um leão e um urso: a este Filisteu incircuncidado sucederá como a um deles. Agora irei e tirarei o opróbrio do povo; pois quem é este Filisteu incircuncidado, que se atreveu a amaldiçoar o exército do Deus vivo?

37. Davide acrescentou: O Senhor, que me livrou das garras do leão e das do urso, livrar-me-á também da mão deste Filisteu. Saul disse a Davide: Vai, e o Senhor seja contigo.

38. Saul revestiu Davide das suas armas, pôs sobre a sua cabeça um elmo de bronze e armou-o de uma couraça.

39. Cingido Davide com a espada de Saul sobre a sua armadura, começou a experimentar se poderia andar com ela, pois nunca tinha usado nenhuma. Davide disse a Saul: Eu não posso caminhar assim, porque não estou acostumado. E depôs as armas,

40. tomou o seu cajado, que trazia sempre na mão, escolheu na torrente cinco pedras bem lisas, meteu-as no surrão de pastor, que trazia consigo, tomou a funda na mão e saiu contra o Filisteu.

41. O Filisteu ia andando e aproximando-se de Davide, e o seu escudeiro ia diante dele.

42. Quando o Filisteu olhou e viu Davide, desprezou-o, porque era muito novo, loiro, de aspecto gentil.

43. O Filisteu disse a Davide: Porventura eu sou algum cão, para vires contra mim com um pau? — O Filisteu amaldiçoou Davide, pelos seus deuses,

44. e disse a Davide: Vem a mim, e eu lançarei as tuas carnes às aves do céu e aos animais da terra.

45. Davide disse ao Filisteu: Tu vens a mim com espada, lança e escudo, eu porém venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, do Deus das tropas de Israel, as quais tu insultaste hoje;

46. o Senhor te entregará nas minhas mãos, eu te ferirei, cortar-te-ei a cabeça e darei hoje às aves do céu e aos animais da terra os cadáveres do acampamento dos Filisteus, a fim de que toda a terra saiba que há um Deus em Israel;

47. toda esta multidão conhecerá que o Senhor não salva pela espada, nem pela lança, porque ele é o Senhor da guerra e vos entregará nas nossas mãos.

48. O Filisteu levantou-se, pôs-se em marcha e avançou para Davide. Davide lançou-se a correr, em frente do exército, ao encontro do Filisteu.

49. Meteu a sua mão no surrão, tirou uma pedra, arrojou-a com a funda, dando-lhe volta, e feriu o Filisteu na testa; a pedra cravou-se na sua testa, e ele caiu com o rosto por terra.

50. Assim venceu Davide o Filisteu com a funda e com a pedra, e, depois de o ferir, o matou. Davide, não tendo à mão nenhuma espada,

51. correu e lançou-se sobre o Filisteu, pegou da sua espada, tirou-a da bainha, matou-o e cortou-lhe a cabeça. Os Filisteus, vendo que o mais valente deles estava morto, fugiram.

52. Os homens de Israel e os de Judá, levantando-se com grande grito, perseguiram os Filisteus até chegarem ao vale e às portas de Acaron, caindo feridos muitos dos Filisteus pelo caminho de Saraim , até Get e até Acaron.

53. Voltando os filhos de Israel, depois de terem perseguido os Filisteus, saquearam o seu acampamento.

54. Davide, tomando a cabeça do Filisteu , levou-a a Jerusalém e pôs as armas dele na sua tenda.

55. No momento em que Saul viu partir Davide contra o Filisteu, disse para Abner, general do exército: Abner, de que família descende este jovem? Abner disse-lhe: Juro pela tua vida, ó rei, que o ignoro.

56. E disse o rei: pergunta lá de quem é filho este jovem ?

57. Tendo voltado Davide, depois de morto o Filisteu, Abner tomou-o e levou-o à presença de Saul. Davide tinha a cabeça do Filisteu na mão.

58. Saul disse-lhe: De que família és tu, ó jovem? Davide respondeu: Eu sou filho do teu servo Isaí de Belém.





“Temos muita facilidade para pedir, mas não para agradecer”. São Padre Pio de Pietrelcina