Tag: Nossa Senhora Page 1 of 4

“Uma Ave Maria dita sem fervor sensível, mas…”

Certa vez, Nosso Senhor pediu a São Francisco que lhe desse algo. O santo respondeu: “Senhor, não posso te dar nada que eu já não tenha dado: todo o meu amor”. Jesus sorriu e disse: “Francisco, dá-me tudo de novo, e de novo, e me darás a mesma alegria”. Da mesma forma, nossa querida Mãe recebe cada Ave-Maria que lhe ofertamos com a mesma alegria com que ouviu aquela saudação da boca do Arcanjo Gabriel no dia da Anunciação, quando ela se tornou a Mãe do Filho de Deus.

Santa Gertrudes nos diz em seu livro “Revelações” que, quando agradecemos a Deus pelas graças que Ele deu a qualquer santo, nos tornamos participantes daquelas mesmas graças. Ora, que graças então não recebemos quando rezamos a Ave-Maria agradecendo a Deus por todas as graças extraordinárias que Ele concedeu à Sua Mãe Bendita?

“Uma Ave-Maria dita sem fervor sensível, mas com desejo puro em tempo de aridez, tem muito mais valor, à minha vista, que um rosário inteiro no meio das consolações”, disse Nossa Senhora à Irmã Benigna Consolata Ferrero. (1885- 1916).

O poder da Ave-Maria
Uma Ave-Maria bem recitada nos dá mais graças que mil rezadas sem reflexão
Aleteia team, 16 de junho de 2016

E também em:
mariedenazareth.com

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco.
Bendita sois Vós entre as mulheres, bendito é o fruto de Vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte.
Amém.

Você sabia que é possível ganhar indulgências com o Santo Rosário?

Muitas pessoas escreveram sobre o poder espiritual do Santo Rosário, mas talvez algo pouco conhecido é a graça da indulgência que é possível ganhar com esta devoção mariana que, segundo a tradição, foi dada pela própria Mãe de Deus.

São João Paulo II em sua Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae (Rosário da Virgem Maria, 37) assinalou que “para fomentar esta projeção eclesiástica do Rosário, a Igreja quis enriquecê-lo com santas indulgências para quem o recita com as devidas disposições”.

A respeito, a Concessão 17 da Enchiridion Indulgentiarum (Manual de Indulgências) da Penitenciária Apostólica do Vaticano, indica que “confere-se uma indulgência plenária se o Terço for rezado em uma igreja ou em um oratório público ou em família, em uma comunidade religiosa ou em piedosa associação”.

Do mesmo modo, a indulgência é concedida ao fiel que “se une devotamente à recitação dessa mesma devoção quando é feita pelo Supremo Pontífice e é transmitida através da televisão ou do rádio. Em outras circunstâncias ganha a indulgência parcial”.

Em seguida, explica que, “se a obra, enriquecida com a indulgência plenária, se pode dividir ajustadamente em partes (como o Rosário de Nossa Senhora em dezenas), quem por motivo razoável não terminou a obra por inteiro, pode ganhar a indulgência parcial pela parte que fez”.

Nesse sentido, destaca que no caso da oração vocal “deve acrescentar a devota meditação dos mistérios” e que na oração pública, “os mistérios devem ser meditados conforme o costume aprovado no local; mas na recitação privada, basta que o fiel acrescente à oração vocal a meditação dos mistérios”.

Como se sabe, só é possível ganhar uma indulgência plenária por dia (exceto em perigo de morte). É possível obtê-la se cumprir as devidas disposições que a Igreja pede, ou seja, a confissão sacramental, a comunhão eucarística e as orações pelas intenções do Papa. Se desejar, a indulgência pode-se ganhar a indulgência para um falecido.

Sobre o objeto do Rosário

Por outro lado, o Beato Paulo VI estabeleceu em sua Constituição Apostólica Indulgentiarum Doctrina (Doutrina das indulgências, Norma 17), que “aos fiéis que utilizam religiosamente um objeto de piedade (crucifixo, cruz, terço, escapulário, medalha), validamente abençoado por um padre, concede-se indulgência parcial”.

“Além disso, se o objeto de piedade foi bento pelo Soberano Pontífice ou por um bispo, os fiéis que religiosamente o usam podem também obter a indulgência plenária no dia da festa dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, ajuntando, porém, a profissão de fé sob uma forma legitima”.

Com relação a este assunto, o Pe. Jhon Phalen, Csc, grande propagador da devoção do Santo Rosário em Família, advertiu que usar com devoção um objeto de piedade significa rezar.

“Eu acredito que carregar uma cruz ou até o Rosário é como uma profissão de fé. Mas o Rosário em si, mais do que o objeto concreto, é a oração. Então deverá rezá-lo”, esclareceu o sacerdote. “De outra forma pode parecer que há muita fé no objeto e não em Deus… o objeto nos ajuda a nos comunicarmos, relacionarmos com Deus”, acrescentou.

Portanto, não basta carregar o Rosário no pescoço, no bolso ou a bolsa para ganhar a indulgência parcial, mas deve ser usado na oração, para nos aproximar mais de Deus na própria vida.

Como rezar o Terço

Como rezar o Terço

† Pelo sinal… † Em Nome do Pai…

  • Oferecimento
  • Creio
  • Pai-Nosso
  • 3 Ave-Marias
  • Salve Rainha

Anuncie sucessivamente:

  • Cada um dos 5 Mistérios
  • Pai-Nosso
  • 10 Ave-Marias
  • Glória ao Pai
  • Jaculatória (à sua escolha)
  • Agradecimento
  • Salve Rainha
  • Ladainha

Rosário de Nossa Senhora

  1. † Pelo sinal da Santa Cruz, † livrai-nos, Deus, Nosso Senhor, † dos nossos inimigos. Em nome do Pai e do Filho † e do Espírito Santo. Amém.
  2. Oferecimento: Divino Jesus, que a nós viestes para a nossa salvação, nós vos oferecemos este Rosário [este Terço], durante o qual vamos contemplar os mistérios da nossa Redenção, desde a vossa Infância e divinos Ensinamentos até a vossa Paixão e Glorificação. Pela intercessão de Maria, vossa Mãe Santíssima, concedei-nos a graça de rezá-lo com tal piedade e afeto, que vos agrade e seja de grande proveito para mim e para as intenções de vivos e falecidos, que neste momento vos apresento…

    (Reza-se o Creio)

  3. Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo. Nasceu da Virgem Maria. Padeceu sob Pôncio Pilatos. Foi crucificado, morto e sepultado. Desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia. Subiu aos céus. Está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso, donde há de vir julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

    Após o Creio, reza-se um Pai-nosso, três Ave-Marias e o Glória.

  4. Pai Nosso, que estais nos céus! Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso Reino. Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia dai-nos hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos e quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.
  5. Ave, Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco! Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém.
  6. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo – Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

    No final de cada Mistério, após o Glória, pode-se rezar a Jaculatória abaixo, ou outra à escolha.

  7. Ó meu Jesus, perdoai-nos! Livrai-nos do fogo do inferno! Levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem  (da vossa misericórdia).

Mistérios Gozosos (da infância)

Segundas-feiras e sábados
  1. A Anunciação do Arcanjo São Gabriel a Nossa Senhora
    A Virgem Maria foi saudada pelo Arcanjo São Gabriel e lhe foi anunciado que havia de conceber e dar à luz Jesus Cristo, nosso Redentor (cf. Lc 1,26-38).

    Pai-nosso, dez Ave-Marias, Glória ao Pai.

  2. A visita de Nossa Senhora à sua prima Santa Isabel
    A Virgem Maria foi visitar sua prima Santa Isabel. São João Batista, ainda no ventre da mãe, ao ouvir a voz da Mãe de Deus, estremeceu de júbilo (cf. Lc 1,39-56).
  3. O Nascimento de Jesus na gruta de Belém
    A Virgem Maria deu à luz seu Divino Filho, Jesus, em uma gruta nas cercanias de Belém, por não haver lugar para eles na estalagem da cidade (cf. Lc 2,1-21).
  4. A apresentação do Menino Jesus no Templo
    A Virgem Maria apresentou seu Divino Filho no Tempo, onde o velho Simeão profetizou que Ele viera ao mundo para ser um sinal de contradição e que uma espada de dor transpassaria a alma de sua Mãe (cf. Lc 2,22-38).
  5. Encontro de Jesus no Templo entre os doutores da lei
    A Virgem Maria tendo perdido seu Divino Filho, que ficara em Jerusalém, encontrou-o no Tempo, depois de três dias de penosa busca, discutindo com os doutores da Lei (cf. Lc 2,40-50).

    Após o último Mistério, reza-se o Agradecimento, a Salve-Rainha e a Ladainha.

Mistérios Dolorosos (da Dor)

Terças e sextas-feiras
  1. A agonía de Jesus no Horto das Oliveiras
    Nosso Senhor Jesus Cristo, no Horto das Oliveiras, pediu ao Pai: Meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice! Todavia, não se faça o que eu quero, e sim o que tu queres (cf. Lc 22, 39-46).
  2. A prisão e flagelação de Jesus
    Atado a uma coluna, Nosso Senhor Jesus Cristo foi flagelado cruel e brutalmente, por ordem de Pilatos, não obstante haver este reconhecido e proclamado sua completa inocência (cf. Mc 15, 1-15).
  3. A coroação de espinhos
    Soldados do governador romano cuspiram em Jesus, cobriram-lhe o rosto, deram-lhe socos, tapas e bofetadas, coroaram-no de espinhos e de outros modos o humilharam (cf. Mt 27,27-30).
  4. Subida dolorosa ao Calvário
    Jesus Cristo Nosso Senhor, condenado à morte por Pilatos, já extenuado, com imenso esforço e paciência, carregou o lenho da Cruz até o alto do Calvário (cf. Mc 15,20-23; Lc 23,26-32).
  5. A crucifixão e morte de Jesus
    Despido e pregado na Cruz entre dois malfeitores, Nosso Senhor Jesus agonizou durante horas e morreu à vista de sua Mãe Santíssima e de inimigos que não cessavam de insultá-lo (cf. Mt 27,45-50; João 19,18-24).

Mistérios Gloriosos (de Glória)

Quartas-feiras e domingos
  1. A Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo
    Nosso Senhor Jesus Cristo, triunfando da morte e do pecado, ressuscitou ao terceiro dia, imortal e radiante de glória (cf. Mt 28,1-15; Jo 20,1-18).
  2. A Ascensão gloriosa de Jesus Cristo aos Céus
    Nosso Senhor Jesus Cristo, quarenta dias depois de sua Ressurreição, subiu aos Céus, diante de sua Mãe Santíssima e dos apóstolos, tomados de admiração (cf. Mc 16,19-20; Lc 24,50-53).
  3. Descida do Espírito Santo sobre os apóstolos
    Nosso Senhor Jesus Cristo enviou o Espírito Santo sobre Maria Santíssima e os apóstolos, sob a forma de línguas de fogo. Os apóstolos, até então tímidos e pouco capazes de entender, imediatamente se transformaram em ardentes anunciadores de Jesus e de seus ensinamentos (cf. At 2,1-13).
  4. Assunção gloriosa de Nossa Senhora aos Céus
    A Virgem Maria, alguns anos depois da Ressurreição de seu Filho, foi levada aos Céus, em corpo e alma, pelo mesmo Jesus Cristo, acompanhada de coros de anjos.
  5. Gloriosa Coroação de Nossa Senhora no Céu
    A Virgem Maria foi esplendidamente coroada pela Santíssima Trindade, como Rainha dos anjos e dos homens. É Co-Redentora, Medianeira e Advogada nossa no Céu.

Mistérios Luminosos (de Luz)

Quintas-feiras
  1. Batismo de Jesus no rio Jordão
    Enquanto Cristo desce à água do rio Jordão para ser batizado, o Céu se abre, o Pai o proclama Filho Bem-amado, e o Espírito Santo lhe confere a missão de Redentor da humanidade (cf. Mt 3,13-17; Mc 1,9-11).
  2. Jesus faz seu primeiro milagre nas Bodas de Caná
    O primeiro “sinal” ou milagre de Jesus acontece em Caná, quando Cristo Jesus, transformando a água em vinho, abre à fé o coração dos discípulos, graças à intervenção de Maria (cf. Jo 2,1-11).
  3. Jesus anuncia o Reino de Deus e convida à conversão
    A intensa pregação e os ensinamentos de Jesus anunciam a chegada do Reino de Deus e o tempo da divina Graça e da Misericórdia, convidando-nos à conversão.
  4. Jesus se tranfigura
    A Transfiguração representa o Mistério de Luz. A Glória da Divindade transparece no rosto de Jesus. Os apóstolos ouvem a voz do Pai: “Eis o meu Filho muito amado. Ouvi-o” (cf. Mt 17,1-13; Mc 1,12).
  5. Jesus institui a Eucaristia
    Na Eucaristia – testemunho emocionante de seu Amor -, Jesus se oferece em sacrifício por nós ao Eterno Pai e se faz nosso alimento, doando-nos o seu Corpo e o seu Sangue (cf. Mc 14,22-25; Lc 22,15-20).

Agradecimento

Infinitas graças vos damos, soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de vossas mãos maternais. Dignai-vos, agora e sempre, tomar-nos sob o vosso poderoso amparo. E, para melhor expressarmos o nosso agradecimento, vos saudamos com uma Salve-Rainha…

Salve, Rainha! Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos, os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, Advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei. E, depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria!

Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, par que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém!

Frases inspiradoras do Papa Francisco sobre Maria

frases-inspiradoras-do-papa-francisco-sobre-maria

Maria, mãe da esperança

“A esperança é a virtude daqueles que, experimentando o conflito, a luta diária entre a vida e a morte, entre o bem e o mal, creem na Ressurreição de Cristo, na vitória do Amor. Escutamos o canto de Maria, o Magnificat: é o cântico da esperança, é o cântico do Povo de Deus no seu caminhar através da história. É o cântico de muitos santos e santas, alguns conhecidos, outros,  muitíssimos, desconhecidos, mas bem conhecidos por Deus: mães, pais, catequistas, missionários, padres, freiras, jovens, e também crianças, avôs e avós; eles enfrentaram a luta da vida, levando no coração esperança dos pequenos e dos humildes.” (Homilia de 15 de agosto de 2013)

Mestra dos discípulos de Cristo

“A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre à casa da Mãe e pede: ‘Mostrai-nos Jesus’ de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado. E, por isso, a Igreja sai em missão sempre na esteira deMaria. Queridos amigos, viemos bater à porta da casa de Maria. Ela abriu-nos, fez-nos entrar e nos aponta o seu Filho. Agora Ela nos pede: ‘Fazei o que Ele vos disser’ (Jo 2,5). Sim, Mãe, nos comprometemos a fazer o que Jesus nos disser! E o faremos com esperança, confiantes nas surpresas de Deus e cheios de alegria.” (Homilia de 24 de julho de 2013)

Maria e a vida no Espírito Santo

“A Virgem Maria ensina-nos o que significa viver no Espírito Santo e o que significa acolher a novidade de Deus na nossa vida. Ela concebeu Jesus por obra do Espírito, e cada cristão, cada um de nós, está chamado a acolher a Palavra de Deus, a acolher Jesus dentro de si e depois levá-lo a todos. Maria invocou o Espírito com os Apóstolos no cenáculo: também nós, todas as vezes que nos reunimos em oração, somos amparados pela presença espiritual da Mãe de Jesus, para receber o dom do Espírito e ter a força de testemunhar Jesus ressuscitado.” (Regina Coeli, 28 de abril de 2013)

Maria, ícone da fé

“No contexto do Evangelho de Lucas, a menção do coração bom e virtuoso, em referência à Palavra ouvida e conservada, pode constituir um retrato implícito da fé da Virgem Maria; o próprio evangelista nos fala da memória de Maria, dizendo que conservava no coração tudo aquilo que ouvia e via, de modo que a Palavra produzisse fruto na sua vida. A Mãe do Senhor é ícone perfeito da fé, como dirá Santa Isabel: ‘Feliz de ti que acreditaste’ (Lc 1, 45).” (Lumen Fidei, 58)

Maria, mãe do Filho de Deus

“Pelo seu vínculo com Jesus, Maria está intimamente associada com aquilo que acreditamos. Na concepção virginal de Maria, temos um sinal claro da filiação divina de Cristo: a origem eterna de Cristo está no Pai, Ele é o Filho em sentido total e único, e por isso nasce, no tempo, sem intervenção do homem. Sendo Filho, Jesus pode trazer ao mundo um novo início e uma nova luz, a plenitude do amor fiel de Deus que Se entrega aos homens. Por outro lado, a verdadeira maternidade de Maria garantiu, ao Filho de Deus, uma verdadeira história humana, uma verdadeira carne na qual morrerá na cruz e ressuscitará dos mortos. Maria acompanhá-Lo-á até à cruz (cf. Jo 19, 25), donde a sua maternidade se estenderá a todo o discípulo de seu Filho (cf. Jo 19, 26-27). Estará presente também no Cenáculo, depois da ressurreição e ascensão de Jesus, para implorar com os Apóstolos o dom do Espírito (cf. Atos 1, 14). O movimento de amor entre o Pai e o Filho no Espírito percorreu a nossa história; Cristo atrai-nos a Si para nos poder salvar (cf. Jo 12, 32). No centro da fé, encontra-se a confissão de Jesus, Filho de Deus, nascido de mulher, que nos introduz, pelo dom do Espírito Santo, na filiação adotiva (cf. Gl 4, 4-6).” (Lumen Fidei, 59)

Fonte: Aleteia

O meu coração sangra, quando penso nas crianças do Iraque, exclama o Papa Francisco

O Papa Francisco lançou no Twitter um novo apelo para gerar consciência do drama que vivem centenas de milhares de pessoas no norte do Iraque, especialmente mulheres, crianças e doentes que buscam proteção no Curdistão iraquiano e em outras zonas do país e da Síria que não foram tomadas pelos jihadistas do Estado Islâmico.

“O meu coração sangra, quando penso nas crianças do Iraque. Nossa Senhora, Nossa Mãe, as proteja!”, expressou o Santo Padre em sua conta @Pontifex_pt nesta sexta-feira, no marco de sua visita à Coréia do Sul, em um gesto que mostra que em todos os momentos pede a Deus pela proteção das minorias cristãs e yazadies neste país do Oriente Médio.

“As notícias que chegam do Iraque nos causam dor. Senhor, ensinai-nos a viver em solidariedade com os irmãos que sofrem”, foi outra mensagem enviada em 10 de agosto. Momentos depois lançou outro tweet: “Um apelo a todas as famílias: no momento da oração, lembrai-vos daqueles que são obrigados a abandonar as suas casas no Iraque”.

No dia 9 de agosto, um dia depois da nomeação do Cardeal Fernando Filoni como enviado especial do Santo Padre para o Iraque, o porta-voz do Vaticano, Pe. Francisco Lombardi, explicou que entre as iniciativas de Francisco para socorrer os iraquianos está o criar consciência no mundo sobre a tragédia humanitária que está ocorrendo.

“Procura-se ajudar este clima de oração, de mobilização espiritual e de solidariedade. Um dos instrumentos com os quais isto foi feito também em outras ocasiões – e que será feito também nesta ocasião – é intensificar e dedicar a difusão dos Tweetes do Papa propriamente sobre este tema, de modo a criar uma atmosfera que, de forma contínua, acompanhe esta situação com participação, recorde os problemas que estão em andamento e convide todos a rezar e a fazer tudo aquilo que seja possível para manifestar a sua solidariedade”, declarou o sacerdote à Rádio Vaticano.

Como se recorda, ontem quinta-feira as Nações Unidas elevaram a emergência no Iraque ao nível 3, o máximo grau que –infelizmente- compartilham Síria, Sudão do Sul e República Centro-africana.

A mais antiga oração de Nossa Senhora

Para pedir que a Santa Mãe de Deus nos livre de todos os perigos

Em 1927, no Egito, foi encontrado um fragmento de papiro que remonta ao século III. Este fragmento continha a mais antiga oração a Nossa Senhora que se conhece. Eis a oração:

“À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus.
Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades,
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita!”.

O alerta de Maria para o Brasil

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Rv2SiX1O3ZM[/youtube]

Versão áudio

A Mãe do Senhor, sob o título de Nossa Senhora das Graças, visitou o Brasil no ano de 1930, aparecendo para duas jovenzinhas num sítio no interior do Recife. Uma das videntes, a Irmã Adélia, faleceu no dia 13 de outubro p.p., contudo, a mensagem a ela transmitida pela Virgem Santíssima continua atual e oportuna.

Em perfeita consonância com as suas demais aparições, a Senhora das Graças preveniu as jovens de que três castigos se abateriam sobre o Brasil e que o país seria tomado pelo comunismo. Ora, a situação da sociedade brasileira não deixa margem para dúvida de que a Senhora estava certa. O país está cada mais mergulhado no ideal socialista e no marxismo cultural.

Felizmente, além de alertar para o perigo, a Virgem Santíssima ofereceu também o remédio: oração e penitência. Portanto, que todos A obedeçam intensificando as súplicas e os atos de reparação para evitar que a chaga do comunismo se abata definitivamente nesta Terra de Santa Cruz.

Nossa Senhora das Graças, rogai por nós.

Page 1 of 4

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén