Certa vez, Nosso Senhor pediu a São Francisco que lhe desse algo. O santo respondeu: “Senhor, não posso te dar nada que eu já não tenha dado: todo o meu amor”. Jesus sorriu e disse: “Francisco, dá-me tudo de novo, e de novo, e me darás a mesma alegria”. Da mesma forma, nossa querida Mãe recebe cada Ave-Maria que lhe ofertamos com a mesma alegria com que ouviu aquela saudação da boca do Arcanjo Gabriel no dia da Anunciação, quando ela se tornou a Mãe do Filho de Deus.

Santa Gertrudes nos diz em seu livro “Revelações” que, quando agradecemos a Deus pelas graças que Ele deu a qualquer santo, nos tornamos participantes daquelas mesmas graças. Ora, que graças então não recebemos quando rezamos a Ave-Maria agradecendo a Deus por todas as graças extraordinárias que Ele concedeu à Sua Mãe Bendita?

“Uma Ave-Maria dita sem fervor sensível, mas com desejo puro em tempo de aridez, tem muito mais valor, à minha vista, que um rosário inteiro no meio das consolações”, disse Nossa Senhora à Irmã Benigna Consolata Ferrero. (1885- 1916).

O poder da Ave-Maria
Uma Ave-Maria bem recitada nos dá mais graças que mil rezadas sem reflexão
Aleteia team, 16 de junho de 2016

E também em:
mariedenazareth.com

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco.
Bendita sois Vós entre as mulheres, bendito é o fruto de Vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte.
Amém.






Livros recomendados

Catecismo anticomunistaOrtodoxia (2a edição)A Fé de Ratzinger