Autor: Pe. Juan Carlos Sack
Fonte: http://www.apologetica.org
Tradução: Carlos Martins Nabeto

[Dando continuidade a esta Série, abordaremos hoje Pedro Crisólogo, São Leão Magno e um autor anônimo do século V].

PEDRO CRISÓLOGO

Brilhante e prolífico pregador da Palavra de Deus. Nasceu em Ímola, em 406, e morreu aí também, em 450. Bispo de Ravena, na Itália, entre 425 e 429. Notável defensor da primazia do Bispo de Roma sobre toda a Igreja. Conservam-se uns 170 sermões e escritos sobre temas bíblicos, litúrgicos, hagiográficos e teológicos.

Sirvam estes textos, onde a presença real se soma ao aspecto sacrificial da Eucaristia. Comentando a Parábola do Filho Pródigo, afirma:

– “Por ordem do pai [na parábola], mata-se o bezerro; porque era impossível matar Cristo Deus, Filho de Deus, sem que existisse a vontade do Pai (…) Este é o bezerro que diária e perpetuamente é imolado para o nosso banquete” (Sermão 5,6).

E em outro sermão:

– “Ele é o pão que, semeado na Virgem, fermentado na carne, feito na Paixão, cozido no forno do sepulcro, preparado nas igrejas, levado aos altares, subministra diariamente o alimento celeste aos fiéis” (Sermão 67,7; Sermão 5,6).

LEÃO MAGNO

Também renomado Padre da Igreja, Papa de 440 a 461, testemunha da fé da Igreja “Romana” no século V. Conservaram-se numerosos sermões e escritos. Devemos a ele, em grande parte, a conservação da doutrina da realidade da natureza humana de Cristo.

No contexto doutrinário da defesa da realidade humana de Cristo contra Êutiques, o Bispo de Roma afirma:

– “Em que trevas de ignorância, em que letargia de desídia têm jazido até agora, que não ouviram, nem leram o que está na boca de todos na Igreja de Deus, com tamanha unanimidade que nem sequer as línguas das crianças calam a verdade do corpo e sangue de Cristo no sacramento da comunhão! Porque nesta mística distribuição do alimento espiritual é isto o que se dá, é isto o que se recebe: para que, recebendo a força do alimento celeste, nos transformemos na carne Daquele que Se fez nossa carne” (Carta 59 aos Constantinopolitanos 2).

Veja tambem  Papa explica que senhorio de Deus se manifesta no amor ao próximo

– “Tendo dito o Senhor: ‘Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós’, tereis que participar da Mesa Santa de uma tal maneira que não duvideis, em absoluto, da verdade do corpo e sangue de Cristo; porque se toma com a boca o que se crê com o coração” (Tratado 91,3).

AUTOR ANÔNIMO DO SÉCULO V

Naquilo que parece ser uma homilia sobre a Eucaristia, este autor [desconhecido] da Igreja, onde hoje é a França, exorta aos seus ouvintes:

– “Enxergas, sem dúvida, pão e vinho, mas é ordenado que creias que são o corpo e o sangue do Senhor; e se não o crerdes, não te salvarás – porque Aquele que te manda crer é o próprio Salvador nosso, que antes da Paixão, ceando com os discípulos, tomou o pão etc. Portanto, isto que vês, atendendo ao que cremos, é o corpo: é o corpo que pela comunhão une a todos em um [só] corpo” (Homilia ‘Do Corpo e Sangue do Senhor’; PLS 4,1952).

– Digno de reverência foi aquele lugar (=o Monte Sinai), onde apareceu a majestade de Deus. Porém, tampouco é menos digno de reverência este [altar], onde Cristo é oferecido. Ali, a nuvem de Deus desceu; aqui, Cristo desce no mistério. Ali, a divindade devia ser ouvida; aqui, deve ser até tocada. Ali, se ia ao colóquio de Deus com temor; aqui, com temor deve-se aproximar do corpo do Senhor” (Idem).





Livros Recomendados

O que Não me Disseram sobre a Vida a DoisDons de Ciência e SabedoriaTratado da Consciência Ou Do Conhecimento De Si Mesmo

Apoia-se: Seja um apoiador da Bíblia Católica Online.

Comentários no Facebook:

comments