1. O velho Tobias, abrindo a sua boca, disse ao Senhor, assim: Tu, Senhor, es grande na eternidade, e o teu reino estende-se por todos os séculos.

2. Com efeito, tu castigas e salvas, conduzes até ao sepulcro e ressuscitas, e ninguém há que possa subtrair-se á tua mão.

3. Dai graças ao Senhor, filhos de Israel, e louvai-o diante das nações,

4. porque ele vos espalhou por entre os povos que o não conhecem, a fim de que vós publiqueis as suas maravilhas, e lhes façais saber que não há outro Deus omnipotente senão ele.

5. Ele castigou-nos por causa das nossas iniquidades, e ele mesmo nos salvará pela sua misericórdia.

6. Considerai, pois, o que ele fez connosco, e bendizei-o com temor e tremor, exaltai o rei dos séculos com as vossas obras.

7. Eu lhe darei louvor na terra do meu cativeiro, porque manifestou a sua glória sobre uma nação pecadora.

8. Convertei-vos, pois, ó pecadores, e sede justos diante de Deus, confiando em que ele usará convosco da sua misericórdia.

9. Quanto a mim, eu me regozijarei nele com toda a minha alma.

10. Bendizei ao Senhor, vós todos os seus escolhidos; celebrai dias de alegria e rendei-lhe louvores.

11. Jerusalém, cidade de Deus, o Senhor te castigou por causa das obras das tuas mãos.

12. Dá graças ao Senhor pelos teus bens, bendiz o Deus dos séculos, para que restabeleça em ti o seu santuário, reconduza a ti todos os cativos, e tu te alegres por todos os séculos dos séculos.

13. Tu brilharás com uma refulgente luz, e todos os povos da terra se prostrarão diante de ti.

14. As nações virão a ti de longe, e, trazendo dádivas, adorarão em teus muros o Senhor, e terão a tua terra por santa.

15. Eles invocarão o grande nome (do Senhor) dentro de ti.

16. Serão malditos os que te desprezarem, condenados os que blasfemarem contra ti, benditos os que te edificarem.

17. Tu alegrar-te-ás nos teus filhos, porque serão todos benditos, e se reunirão ao Senhor.

18. Bem-aventurados todos os que te amam e se alegram na tua paz.

19. Ó minha alma, bendiz ao Senhor, porque livrou a sua cidade de Jerusalém de todas as suas tribulações, ele, o Senhor nosso Deus.

20. Ditoso de mim, se restar ainda alguém da minha descendência, para ver o esplendor de Jerusalém.

21. As portas de Jerusalém serão construídas de safiras e de esmeraldas, e de pedras preciosas todo o circuito dos seus muros.

22. Todas as suas praças serão calçadas de pedras de brancura imaculada; em todas as suas ruas se cantará: Aleluia.

23. Bendito o Senhor, que a exaltou; que o seu reinado seja sobre ela pelos séculos dos séculos. Amen.





“O demônio é forte com quem o teme, mas é fraquíssimo com quem o despreza.” São Padre Pio de Pietrelcina