Na cerimônia de despedida no aeroporto de Nova York

NOVA YORK, segunda-feira, 21 de abril de 2008 (ZENIT.org).- Ao despedir-se dos Estados Unidos na noite de ontem, Bento XVI confessou a esperança de que sua visita sirva para trazer «uma fé renovada» ao país.

«Rezo por todos nos Estados Unidos, realmente por todo mundo, para que o futuro traga uma maior fraternidade e solidariedade, um crescente respeito recíproco e uma renovada fé e confiança em Deus, nosso Pai que está no céu», disse no aeroporto John Fitzgerald Kennedy, ao final de uma visita de mais de cinco dias.

Cerca de 3.200 pessoas puderam estar no hangar para despedir-se de perto do Papa, em uma cerimônia na qual os Estados Unidos foram representados pelo vice-presidente Dick Cheney.

O Papa confessou que a visita que havia realizado ao «Ground Zero» pela manhã «permanecerá profundamente gravada em minha memória».

«Continuarei rezando pelos que faleceram e pelos que sofreram as conseqüências da tragédia que acontecem em 2001», assegurou.

Recordando depois sua visita às Nações Unidas, agradeceu «por tudo o que a Organização conseguiu realizar para defender e promover os direitos fundamentais de todo homem, mulher e criança em qualquer parte do mundo, e alento todos os homens de boa vontade a continuar esforçando-se sem cessar na promoção da coexistência justa e pacífica entre os povos e as nações».

Cheney, que qualificou o Papa de «mensageiro da paz e da justiça», reconheceu que «esta semana foi memorável para os americanos» e pediu ao bispo de Roma que tenha seu país presente em suas orações.

O Papa concluiu seu discurso com o tradicional «God bless América» («Deus abençoe os Estados Unidos»).

Veja tambem  Pregador do Papa: Jesus continua «tocando-nos» fisicamente para curar-nos espiritualmente

Durante sua estadia, Bento XVI visitou as cidades de Washington e Nova York e nesses dias completou 81 anos de vida (em 16 de abril), e 3 como bispo de Roma (em 19 de abril).




Comentários no Facebook:

comments