Novo livro do teólogo José Morales

PAMPLONA, terça-feira, 30 de maio de 2006 (ZENIT.org).- O padre José Morales, professor da Faculdade de Teologia da Universidade de Navarra, recopilou no livro «Mãe da graça» (www.rialp.com) nove meditações sobre Maria que a definem como «mãe da graça, com uma maternidade que é ao mesmo tempo formidável e terna, impressionante e próxima».

«A Virgem Maria foi uma mulher normal», afirma o teólogo, sublinhando que «foi um ser humano, não um ser celestial que viveu entre nuvens brilhantes e anjos. Essas imagens da arte cristã têm seu sentido, entendemos bem o que querem dizer e movem nossa piedade. Mas não nos ajudam totalmente para entender a existência de Nossa Senhora.»

«A Virgem não teve uma vida fácil. Por cada rosa houve dez espinhos», afirma o padre Morales, que é autor, entre outros, de «Newman (1801-1890)», «Introdução à Teologia», «Teologia das Religiões», «Jesus de Nazaré» e «O Islã».

«Nossa Senhora é sempre uma mulher ativa, uma mulher de temperamento, que sobressai entre os humildes e os pobres do Senhor, que conheceu a pobreza e o sofrimento, a fuga e o exílio que ? como Jesus ? soube abraçar a desilusão sempre que foi necessário», explica em sua obra.

«Nós nos aproximamos de Maria com um desejo de nos arrependermos de nossas faltas». O teólogo acrescenta que «não vamos a ela para sermos salvos em nossos pecados, mas para que o Senhor nos livre deles por sua intercessão maternal».

«Seria um disparate pensar que nós, cristãos, buscamos Maria para que nos proporcione um salvo-conduto que nos autorize a ofender a Deus impunemente», conclui.




Comentários no Facebook:

comments

Veja tambem  Bento XVI: O mundo necessita da oração