1. Respondendo o Senhor a Job, do meio do remoinho, disse:

2. Cinge os teus rins como homem; eu te interrogarei, e me responderás.

3. Porventura queres reduzir a nada a minha justiça, e condenar-me a mim, para te justificares a ti?

4. Se tu tens um braço (forte) como Deus, e trovejas com voz semelhante,

5. reveste-te de grandeza e majestade, cobre-te de esplendor e de glória.

6. Lança, em torrentes, a lua ira, e humilha os arrogantes com um. só olhar.

7. Com um só olhar humilha os soberbos, aniquila os ímpios no seu lugar.

8. Sepulta-os todos juntos no pó, mergulha em trevas a sua face.

9. Então eu próprio confessarei que a tua dextra poderá salvar-te.

10. Considera o Beemot, criado por mim, como tu, ele come feno como o boi.

11. A sua fortaleza está nos seus lombos, e o seu vigor nos músculos dos seus flancos.

12. Levanta a sua cauda como cedro, os nervos dos seus músculos estão entrelaçados uns nos outros.

13. Os seus ossos são como canas de bronze, a sua estrutura é de barras de ferro.

14. É obra-prima de Deus; aquele que o fez, dotou-o de uma espada.

15. Os montes produzem-lhe ervas; e todos os animais do campo vêm retouçar ali (junto dele).

16. Dorme à sombra dos lotos, no retiro dos canaviais dos pântanos.

17. Os lotos o cobrem com a sua sombra, os salgueiros da torrente o circundam,

18. Se o rio crescer, ele não se espanta; ainda que um Jordão lhe chegue à garganta, fica tranquilo.

19. Quem poderá apanhá-lo de frente, e atravessar-lhe as narinas com laços?

20. Porventura poderás tirar com anzol o Leviatan, e ligar a sua língua com uma corda?

21. Porventura porás uma argola nos teus narizes, ou furarás a sua queixada com um anel?

22. Porventura multiplicará os rogos diante de ti, ou te dirá palavras ternas?

23. Porventura fará ele concerto contigo, e recebê-lo-ás tu por escravo para sempre?

24. Porventura brincarás com ele como com um pássaro ou o atarás para divertir teus filhos?

25. Colhê-lo-ão os pescadores em suas redes, dividi-lo-ão os negociantes?

26. Crivarás de dardos a sua pele, espetarás o arpão na sua cabeça?

27. Põe a tua mão sobre ele: ficarás escarmentado, não tornarás a fazê-lo.

28. Eis que (quem quiser capturar tal monstro) se enganará nas suas esperanças; a vista (do monstro) bastará para o aterrar.





“A meditação não é um meio para chegar a Deus, mas um fim. A finalidade da meditação é o amor a Deus e ao próximo.” São Padre Pio de Pietrelcina