1. Aconteceu, depois disto, morrer o rei dos Amonitas, sucedendo-lhe, no reino, Hanon, seu filho,

2. Davide disse: Eu mostrarei benevolência a Hanon, filho de Naas, como seu pai me mostrou a mim. Enviou, pois, Davide em baixadores, para o consolar na morte de seu pai. Todavia, quando os enviados de Davide chegaram ás terras dos Amonitas,

3. os príncipes dos Amonitas disseram a Hanon, seu senhor: Tu cuidas que é em honra de teu pai, que Davide te enviou estes homens para te consolar? Não te enviou, antes, os seus servos para investigarem e reconhecerem a cidade, e para a destruirem?

4. Prendeu, então, Hanon os servos de Davide, mandou-lhes rapar metade da barba e cortar-lhes metade dos seus vestidos, até cerca da cintura, e despediu-os.

5. Davide, quando isto lhe foi referido, mandou enviados ao seu encontro porque aqueles homens estavam sobremaneira, envergonhados com a afronta que lhes dissessem: Deixai-vos estar em Jericó, até que vos cresça a barba, e depois voltareis.

6. Considerando os Amonitas que tinham injuriado Davide, mandaram aos Sírios de Rood e aos Sírios de Soba, e tomaram deles a seu soldo vinte mil homens de pé, mais de mil homens dos do rei de Maaca e doze mil dos de Tob.

7. Advertido disto Davide, mandou Joab (contra eles) com todas as suas tropas.

8. Os Amonitas saíram à campanha, dispondo o seu exército em batalha em frente à entrada da porta (da cidade); os Sírios de Soba, os de Roob, os de Istob e os de Maaca, estavam a parte no campo.

9. Joab, vendo que estava preparada batalha contra ele, assim pela frente como pela retaguarda, escolheu entre os melhores de Israel, e formou em linha de batalha contra os Sírios.

10. O resto do exército entregou-o a seu Irmão Abisai, que dirigiu o combate contra os Amonitas.

11. Joab disse-lhe: Se os Sírios prevalecerem contra mim, virás em meu socorro: se os Amonitas prevalecerem contra ti, eu te socorrerei.

12. Mostra-te como homem de coragem, e pelejemos pelo nosso povo e pela cidade do nosso Deus. O Senhor fará como bem lhe parecer.

13. Joab, com a gente que estava com ele, travou o combate contra os Sírios, os quais fugiram logo diante dele.

14. Os Amonitas, vendo que os Sírios tinham fugido, fugiram também eles, diante de Abisai, e entraram na cidade. Joab voltou dos filhos de Amon, e foi para Jerusalém

15. Os Sírios, vendo que tinham sido derrotados por Israel, tornaram a refazer-se.

16. Adadezer mandou vir os Sírios, que estavam da outra banda do rio, e conduziu as suas tropas; Sobac, general do exército de Adadezer, comandava-as.

17. Davide, informado disto, juntou todo o Israel, passou o Jordão e foi até Helam. Os Sírios ordenaram o seu exército contra Davide e combateram contra ele,

18. mas puseram-se em fuga à vista de Israel; Davide destroçou setecentos carros dos Sírios e quarenta mil homens de cavalo, e feriu Sobac, general do exército, o qual morreu logo.

19. Todos os reis, que tinham ido em auxílio de Adadezer, vendo que estavam vencidos pelos Israelitas, tiveram medo e fugiram à vista dos Israelitas, em número de cinqüenta e oito mil homens, e fizeram pazes com os Israelitas ficando-lhes sujeitos. De então por diante os Sírios não ousaram mais dar socorro aos Amonitas.





“A pessoa que nunca medita é como alguém que nunca se olha no espelho e, assim, não se cuida e sai desarrumada. A pessoa que medita e dirige seus pensamentos a Deus, que é o espelho de sua alma, procura conhecer seus defeitos, tenta corrigi-los, modera seus impulsos e põe em ordem sua consciência.” São Padre Pio de Pietrelcina