1. Eu mesmo, Paulo, vos rogo pela doçura e mansidão de Cristo, eu que, quando estou presente, sou humilde, mas, ausente, ousado convosco. (ver nota)

2. Suplico-vos pois, que, quando estiver presente, não me obrigueis a usar com liberdade da ousadia que me proponho demonstrar contra alguns que julgam que andamos segundo a carne.

3. De facto, embora vivendo na carne, não militamos segundo a carne.

4. Porquanto as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus para destruir as fortificações ;

5. derribamos todos os projetos (que se opõem à pregação do Evangelho) e todo o poder altivo que se levanta contra o conhecimento de Deus, reduzimos à sujeição todo o pensamento para o tornar obediente a Cristo.

6. Estamos preparados, para castigar toda a desobediência, depois que for cumprida a vossa obediência.

7. Considerai as coisas (mesmo só) pela aparência. Se alguém se ufana de que é de Cristo, considere igualmente dentro de si que, como é, de Cristo, assim também nós o somos.

8. Realmente, ainda que eu me gloriasse um pouco mais do poder, que o Senhor me deu para vossa edificação e não para vossa destruição, não me envergonharia por isso.

9. Mas, para que não pareça que vos quero aterrar por cartas,

10. porque as cartas, dizem alguns, são graves e fortes, mas a presença do corpo é fraca e a palavra desprezível,

11. quem assim diz saiba que, quais somos nas palavras por carta, estando ausentes, tais seremos também de facto, estando presentes.

12. Em realidade não ousamos intrometer-nos ou comparar-nos com alguns que se gabam a si mesmos; mas esses, medindo-se com a sua medida e comparando-se a si próprios, dão mostras de pouco senso.

13. Nós, porém, não nos gloriaremos fora de medida, mas dentro dos limites da regra que Deus nos marcou como medida, fazendo-nos chegar até vós.

14. Com efeito, não nos estendemos fora dos limites, como se não tivéssemos chegado até vós, porque de facto chegámos até vós com o Evangelho de Cristo;

15. não nos gloriamos fora de medida nos trabalhos alheios, mas esperamos que, crescendo a vossa fé, seremos largamente engrandecidos dentro dos limites da nossa regra;

16. também anunciaremos o Evangelho nos lugares que estão além de vós, sem nos gloriarmos do que é cultivado pelos outros, dentro da parte a eles destinada.

17. Aquele, pois, que se gloria, glorie-se no Senhor,

18. porque não é o que a si mesmo se recomenda que é aprovado, mas sim aquele a quem Deus recomenda.





“Deus ama quem segue o caminho da virtude.” São Padre Pio de Pietrelcina