1. Depois disto, faleceu Naas, rei dos Amonitas, e seu filho reinou em seu lugar. (ver nota)

2. Davide disse: Quero mostrar o meu afeto a Hanon, filho de Naas, pois que recebi favores de seu pai. E Davide mandou mensageiros para o consolarem na morte de seu pai. Quando eles chegaram ao pais dos Amonitas, para consolarem Hanon,

3. os grandes dos Amonitas disseram a Hanon: Julgas talvez que Davide, por honrar a memória de teu pai, te mandou homens que te consolassem? Não vês que os servos vieram para explorar e examinar, e esquadrinhar o teu país?

4. Hanon, então, mandou rapar a cabeça e a barba aos servos de Davide, fez-Ihes retalhar as suas túnicas da cintura até aos pés, e despediu-os.

5. Tendo sido avisado disto, Davide mandou (alguns dos seus homens) ao encontro deles (porque era grande o ultraje que tinham padecido), para lhes dizerem que ficassem em Jericó, até lhes crescer a barba, e que então voltassem.

6. Vendo, os Amonitas, assim Hanon com o todo o povo, que tinham feito injúria a Davide, mandaram mil talentos de prata, para tomarem a seu soldo carros de guerra e cavalaria da Mesopotâmia, dos Sírios de Maaca e de Soba.

7. Assoldaram trinta e dois mil carros e o rei Maaca com o seu povo, os quais acamparam defronte de Medaba. Os Amonitas, tendo-se juntado das suas cidades, saíram para a guerra.

8. Davide, informado disto, mandou Joab e todo o exército de homens valentes.

9. Tendo saído os Amonitas, formaram-se em batalha junto da porta da cidade; e os Sírios os reis, que tinham ido em seu socorro, fizeram alto separadamente na campina.

10. Joab, vendo que lhe queriam dar batalha pela frente e pela retaguarda, escolheu os homens mais esforçados de todo o Israel e marchou contra os Sírios.

11. Do resto do exército deu o comando a Abisai, seu irmão, para que enfrentasse os Amonitas.

12. Disse: Se os Sírios prevalecerem contra mim, tu virás socorrer-me; se os Amonitas prevalecerem contra ti, eu te socorrerei.

13. Esforça-te e pelejemos valorosamente pelo nosso povo e pelas cidades do nosso Deus; e o Senhor fará o que bem lhe parecer.

14. Marchou, pois, Joab e o povo que estava com ele à batalha contra os Sírios, e pô-los em fuga.

15. Os Amonitas, vendo que os Sírios tinham fugido, fugiram eles também de Abisai, irmão de Joab, e entraram na cidade. Joab voltou para Jerusalém.

16. Os Sírios, vendo-se vencidos por Israel, mandaram mensageiros e fizeram vir os Sírios que viviam da banda de além do rio (Eufrates). Sofac, general do exército de Adarezer, era o seu comandante.

17. Davide, avisado disto, juntou todo o Israel, passou o Jordão, deu de repente sobre eles e acometeu-os pela frente com o seu exército formado em batalha, resistindo eles por seu lado (com valor).

18. Porém os Sírios fugiram diante de Israel, e Davide matou deles sete mil homens dos carros e quarenta mil de pé, assim como Sofac, general do exército.

19. Vendo os servos de Adarezer que eram vencidos pelos Israelitas, passaram para Davide e ficaram-lhe sujeitos. E a Síria não quis mais dar socorro aos Amonitas.





“Subamos sem nos cansarmos, sob a celeste vista do Salvador. Distanciemo-nos das afeições terrenas. Despojemo-nos do homem velho e vistamo-nos do homem novo. Aspiremos à felicidade que nos está reservada.” São Padre Pio de Pietrelcina