Ao celebrar uma multitudinária missa na Praça Pilsudski, em Varsóvia

VARSÓVIA, sexta-feira, 26 de maio de 2006 (ZENIT.org).- Bento XVI alertou esta sexta-feira dos intentos de tirar do Evangelho as verdades incômodas, durante a missa que presidiu na Praça Pilsudski, em Varsóvia, ante cerca de 275.000 pessoas que desafiaram a intensa chuva.

Com seu ato mais multitudinário na capital polonesa, o Santo Padre recordou os 27 anos daquela missa que João Paulo II celebrou nesse mesmo lugar, em sua primeira visita pastoral a sua pátria, e que suscitaria um movimento espiritual de conseqüências decisivas para o bloco soviético.

O bispo de Roma dedicou sua homilia a um dos temas que o apaixonaram durante toda sua vida: a união íntima entre o amor e a verdade.

«Muitos pregadores do Evangelho deram a vida precisamente por causa da fidelidade à verdade da palavra de Cristo», disse o pontífice. Entre os presentes, não faltavam rostos de anciãos a quem sua condição de cristão lhes criava sérios problemas há apenas vinte anos.

E, contudo, denunciou, «como nos séculos passados, também hoje há pessoas ou ambientes que, descuidando desta Tradição de séculos, gostariam de falsificar a palavra de Cristo e tirar do Evangelho as verdades que, segundo eles, são demasiado incômodas para o mundo moderno».

«Trata-se de dar a impressão de que tudo é relativo», disse, retomando a preocupação que já manifestou o cardeal Joseph Ratzinger ao celebrar a missa de início do conclave há algo mais de um ano.

«Inclusive as verdades de fé dependeriam da situação histórica e do juízo humano –continuou constatando–. Mas a Igreja não pode calar ao Espírito da Verdade».

«Todo cristão está obrigado a confrontar continuamente suas próprias convicções com os ditames do Evangelho e da Tradição da Igreja em seu compromisso por permanecer fiel à palavra de Cristo, inclusive quando esta é exigente e humanamente difícil de compreender», afirmou.

Veja tambem  Bento XVI reza pela rápida beatificação de João Paulo II

«Não temos de cair na tentação do relativismo ou da interpretação subjetiva e seletiva das Sagradas Escrituras. Só a verdade íntegra pode-nos abrir à adesão a Cristo, morto e ressuscitado por nossa salvação», assegurou.

A cruz de 25 metros de altura que se destacava na praça ajudou os peregrinos a compreender a importância das palavras que estavam escutando.

Pela tarde, o Papa viajou de helicóptero a Czestochowa para visitar o santuário mariano de Jasna Gora e encontrar-se com os religiosos e representantes dos movimentos. À noite, chegou a Cracóvia, onde se hospedará. Este sábado visitará Wadowice, cidade natal de João Paulo II.




Comentários no Facebook:

comments