1. Aproximando-se o dia da morte de Davide, deu ele estas Instruções a Salomão, seu filho, dizendo:

2. Eis que vou para o lugar onde vão parar todos os mortais; sê forte, e porta-te com o homem.

3. Observa tudo o que o Senhor teu Deus te mandou, andando pelos seus caminhos, guardando as suas cerimónias, os seus preceitos, as suas ordenações e as suas leis, conforme está escrito na lei de Moisés, para que sejas bem sucedido em tudo o que fizeres, em qualquer parte onde estejas,

4. de sorte que o Senhor confirme as suas palavras, ditas a meu respeito. Se os teus filhos vigiarem sobre os seus caminhos, e andarem diante de mim em verdade, de todo o seu coração e de toda a sua alma, terás sempre algum dos teus descendentes sentado no trono de Israel

5. Tu sabes também o que me fez Joab, filho de Sarvia, como ele procedeu com os dois generais do exército de Israel, Abner, filho de Ner, e Amasa, filho de Jeter, a quem matou, derramando sangue em tempo de paz, como se fosse na guerra, e manchando com o sangue da guerra o cinto que trazia sobre os seus rins, e os sapatos que tinha nos pés.

6. Farás, pois, conforme a tua sabedoria, e não permitirás que as suas cãs desçam em paz à sepultura (visto ser um homicida).

7. Pelo contrário, mostrarás o teu agradecimento aos filhos de Berzelai de Galaad, que comerão à tua mesa, porque me saíram ao encontro quando eu fugia diante de Absalão, teu irmão.

8. Tens também contigo a Semei de Gera, filho de Jemini de Baurim, que me amaldiçoou com uma péssima maldição, quando eu ia para o acampamento. Todavia, porque ele veio ao meu encontro, quando eu passava o Jordão, jurei-lhe pelo Senhor, dizendo: Não te matarei à espada. (ver nota)

9. Não deixes sem castigo o seu crime. És homem entendido para saberes como te hás-de haver com ele; farás baixar, com sangue, as suas cãs à sepultura.

10. Adormeceu, pois, Davide com seus pais, e foi sepultado na cidade de Davide.

11. O tempo que Davide reinou sobre Israel foi de quarenta anos; em Hebron reinou sete anos, em Jerusalém trinta e três.

12. Salomão tomou posse do trono de Davide, seu pai, e o seu reino consolidou-se sobremaneira.

13. Adonias, filho de Hagit, foi ter com Betsabé, mãe de Salomão. Ela disse-lhe: É porventura de paz a tua entrada? Ele respondeu-lhe: É de paz. (ver nota)

14. E acrescentou: Tenho uma palavra a dizer-te. Ela respondeu-lhe: Fala. Ele disse:

15. Tu sabes que o reino era meu, que todo o Israel me tinha escolhido de preferência para seu rei, mas o reino foi transferido e passou para meu irmão, porque o Senhor o destinou para ele.

16. Agora, pois, uma só coisa te peço; não me faças passar pela vergonha de ma recusares. Ela disse-lhe: Fala.

17. Adonias disse: Peço-te que digas a Salomão (visto que ele não pode negar-te nada) que me dê Abisag Sunamita por mulher.

18. Betsabé respondeu: Está bem, eu falarei por ti ao rei.

19. Foi, pois, Betsabé ter com o rei Salomão, para lhe falar em favor de Adonias. O rei levantou-se para a vir receber, saúdou-a com profunda reverência e sentou-se no seu trono e mandou colocar um trono para a mãe do rei, a qual se sentou à sua mão direita.

20. Ela disse-lhe: Eu só te peço uma pequena coisa, não me envergonhes com a repulsa. O rei disse-lhe: Pede, minha mãe, porque não é justo que vás descontente.

21. Disse Betsabé: Dê-se Abisag Sunamita por mulher a Adonias, teu irmão.

22. E o rei Salomão respondeu, e disse à sua mãe: Por que pedes tu Abisag Sunamita para Adonias? Pede também para ele o reino, porque ele é meu irmão mais velho, e tem por si o pontífice Abiatar, e Joab, filho de Sarvia.

23. Jurou então o rei Salomão pelo Senhor, dizendo: Deus me trate com todo o seu rigor, se não é verdade que Adonias por esta palavra falou contra a sua própria vida.

24. Juro pelo Senhor, que me estabeleceu solidamente no trono de Davide, meu pai, e que fundou a minha casa como tinha dito, que Adonias será hoje morto.

25. E o rei Salomão deu ordem a Banaias, filho de Jojada, para o matar. Assim morreu (Adonias).

26. Disse também o rei ao pontífice Abiatar: Vai para Anatot, para as tuas terras: na verdade és digno de morte, mas eu não te matarei hoje, porque levaste a arca do Senhor Deus diante de meu pai Davide, e acompanhaste meu pai em todos os trabalhos que padeceu.

27. Salomão desterrou Abiatar, para não ser mais pontífice do Senhor, a fim de se cumprir a palavra que o Senhor tinha proferido em Silo, contra a casa de Helí.

28. Quando chegou esta notícia a Joab, que tinha seguido o partido de Adonias, e não o de Salomão, fugiu Joab para o tabernáculo do Senhor, e agarrou-se ao canto do altar.

29. Foram dizer ao rei Salomão que Joab tinha fugido para o tabernáculo do Senhor, e estava junto do altar. Salomão mandou Banaias, filho de Jojada, dizendo: Vai, e mata-o.

30. E foi Banaias ao tabernáculo do Senhor, e disse a Joab: O rei manda isto; sai daqui. Ele respondeu: Não sairei, mas morrerei neste lugar. Deu Banaias parte disto ao rei, dizendo: Eis o que disse Joab, e o que me respondeu.

31. O rei disse-lhe: Faze como ele te disse, mata-o, sepulta-o, e com isto lavarás a mim e a casa de meu pai do sangue inocente, que Joab derramou.

32. O Senhor fará recair o seu sangue sobre a sua cabeça, porque assassinou dois homens justos, e melhores do que ele; ele matou à espada, sem meu pai Davide o saber, Abner, filho de Ner, general do exército de Israel, e Amasa, filho de Jeter, general do exército de Judá.

33. O sangue destes recairá para sempre sobre a cabeça de Joab, e sobre a cabeça da sua posteridade. A Davide, à sua descendência, à sua casa e ao seu trono, dê o Senhor paz para sempre.

34. Partiu, então, Banaias, filho de Jojada, e, arremetendo contra Joab, o matou. Joab foi sepultado em sua casa no deserto.

35. Em lugar de Joab constituiu o rei a Banaias, filho de Jojada, general do exército, e, em lugar de Abiatar, estabeleceu como pontífice a Sadoc.

36. Mandou o rei também chamar Semei e disse-lhe: Faze para ti uma casa em Jerusalém, e habita aí; dela não sairás andando duma parte para outra. (ver nota)

37. Em qualquer dia, pois, que daqui saíres e passares a torrente do Cedron, sabe que serás morto; o teu sangue recairá sobre a tu a cabeça.

38. Disse Semei ao rei: Justa ordem é esta. Como disse o rei, meu senhor, assim o executará o teu servo. Morou Semei em Jerusalém durante muito tempo.

39. Passados três anos, aconteceu que os servos de Semei fugiram para Aquis, filho de Maaca, rei de Get, e foram dizer a Semei que os servos tinham ido para Get.

40. Levantou-se Semei, aparelhou o seu jumento e foi ter com Aquis, a Get, em busca dos seus servos, e tornou-os a trazer de Get.

41. Disseram a Salomão que Semei tinha ido de Jerusalém a Get e que tinha já voltado.

42. O rei mandou-o chamar e disse-lhe: Não te fiz eu jurar pelo Senhor, não te avisei formalmente, dizendo-te que, em qualquer dia que saísses a uma ou outra parte, morrerias? E tu não respondeste: Justa ordem é esta, que acabo de ouvir?

43. Por que não guardaste tu o juramento do Senhor e a ordem que eu tinha dado?

44. O rei acrescentou: Tu sabes todo o mal de que a tua consciência te acusa de teres feito a Davide, meu pai: o Senhor fez recair a tua malícia sobre a tua cabeça.

45. O rei Salomão será abençoado, e o trono de Davide será para sempre estável diante do Senhor.

46. Deu o rei ordem a Banaias, filho de Jojada, o qual, tendo saido, feriu Semei, e ele morreu.





“O amor e o temor devem sempre andar juntos. O temor sem amor torna-se covardia. São Padre Pio de Pietrelcina