1. Então os reis e os príncipes de todas as cidades e províncias, a saber, da Síria, da Mesopotâmia, da Síria de Sobal, da Líbia, e da Cilícia, enviaram os seus embaixadores, os quais, apresentando-se a Holofernes, disseram;

2. Cesse a tua indignação contra nós, porque é melhor que vivamos sendo vassalos do grande rei Nabucodonosor, sujeitando-nos a ti, do que morramos, depois de havermos sofrido os males da escravidão.

3. Todas as nossas cidades, todas as nossas possessões, todas as nossas montanhas e colinas, os nossos campos, as nossas manadas de bois, rebanhos de ovelhas e de cabras, cavalos e camelos, todas as nossas riquezas e famílias estão diante de ti (à tua disposição);

4. tudo está debaixo da tua lei.

5. Nós e nossos filhos somos teus escravos.

6. Vem a nós como um senhor pacifico e emprega os nossos serviços como bem te aprouver.

7. Então ele (sem fazer caso destas propostas) desceu dos montes com as suas poderosas forças de cavalaria e apoderou-se de todas as cidades e de todos os habitantes daquela terra.

8. Tomou de todas as cidades, para suas tropas auxiliares, os homens robustos e aptos para a guerra.

9. Foi tão grande o medo que se apoderou daquelas províncias, que os habitantes principais de todas as cidades, as pessoas mais distintas, à sua chegada, saíam-lhe ao encontro juntamente com os povos,

10. recebendo-o com coroas e com archotes, dançando ao som de tambores e de flautas.

11. Todavia, nem mesmo fazendo isto, puderam abrandar a ferocidade daquele coração,

12. porque não só lhes destruiu as suas cidades, mas também lhes cortou os seus bosques sagrados.

13. Efectivamente o rei Nabucodonosor tinha-lhe mandado que exterminasse todos os deuses da terra, a fim de que só ele fosse chamado deus por aquelas nações que pudessem ser subjugadas pelo poder de Holofernes.

14. Este, atravessando a Síria de Sobal, toda a Apaméa e toda a Mesopotâmia, chegou aos Idumeus na terra de Cabaa.

15. Depois de haver conquistado as suas cidades, demorou-se lá trinta dias, durante os quais mandou que se juntassem todas as tropas do seu exército.





“Apóie-se, como faz Nossa Senhora, à cruz de Jesus e nunca lhe faltará conforto”. São Padre Pio de Pietrelcina