1. Quando acabou de clamar ao Senhor, (Judit) levantou-se do lugar onde se tinha prostrado diante do Senhor.

2. Chamou a sua criada, desceu à sua habitação, tirou o cilício, despiu-se dos hábitos da sua viuvez,

3. lavou o seu corpo, ungiu-se da mais fina mirra, arranjou o cabelo, pôs uma coifa sobre a cabeça, vestiu-se com os vestidos de gala, calçou as sandálias, pôs os braceletes, o colar, as arrecadas, os anéis, (numa palavra) ornou-se com todos os seus enfeites.

4. O Senhor aumentou-lhe ainda a gentileza porque todo este adorno procedia, não de algum mau desejo, mas de virtude; por isso o Senhor deu-lhe tal formosura, que apareceu aos olhos de todos com encanto incomparável.

5. Mandou à sua criada que levasse uma garrafa de vinho, uma almotolia de azeite, farinhas, passas, pão e queijo, e partiu.

6. Ao chegar à porta da cidade, encontraram Ozias e os anciãos da cidade, que a estavam esperando.

7. Eles, ao vê-la, ficaram estupefactos e maravilhados da sua beleza.

8. Não lhe perguntando, contudo, coisa alguma, deixaram-na passar, dizendo: O Deus de nossos pais te dê graça, e corrobore com a sua fortaleza todas as resoluções do teu coração, para que Jerusalém se glorie em li, e o teu nome seja colocado no número dos santos e justos.

9. Os que estavam ali disseram todos a uma voz: Assim seja, assim seja.

10. Judit, orando ao Senhor, passou as portas com a sua escrava.

11. Quando ela descia do monte, ao amanhecer do dia, saíram-lhe ao encontro as guardas avançadas dos Assírios e prenderam-na, dizendo: Donde vens tu? e para onde vais?

12. Ela respondeu: Eu sou uma das filhas dos Hebreus que fugi da presença deles porque previ que eles vos hão-de ser entregues a saque, visto que, desprezando-vos, não quiseram render-se a vós voluntariamente, para encontrarem misericórdia, a vossos olhos. (ver nota)

13. Por toda esta causa pensei comigo: Irei à presença do príncipe Holofernes, para lhe descobrir os seus segredos, para lhe mostrar por que entrada os possa tomar, sem que pereça um só homem do seu exército.

14. Tendo aqueles homens ouvido as suas palavras, contemplavam o seu rosto, e nos seus olhos estava o pasmo, porquanto admiravam-se muito da sua formosura.

15. Disseram-lhe: Tu salvaste a tua vida, porque tomaste tal resolução de vir ter com o nosso príncipe;

16. podes estar certa de que, quando te apresentares diante dele, ele te há-de tratar bem, e tu lhe hás-de ganhar o coração. Levaram-na, pois, à tenda de Holofernes, declarando quem era.

17. Mal havia entrado ela à sua presença, logo Holofermes ficou cativo de seus olhos.

18. Os seus oficiais disseram-lhe: Quem poderá desprezar o povo dos Hebreus, que tem mulheres tão belas? Não temos nós razão suficiente de combater contra eles, (só) para as adquirir?

19. Judit, vendo Holofernes assentado debaixo de um docel feito de púrpura, tecido de ouro, com esmeraldas, e pedras preciosas,

20. depois de Ler olhado para o seu rosto, fez-lhe uma profunda reverência, prostrando-se por terra. Os criados de Holofernes levantaram-na por ordem do seu senhor.





A firmeza de todo o edifício depende da fundação e do teto! São Padre Pio de Pietrelcina