1. Levantou-se, pois, Satanás contra Israel, e incitou Davide a fazer o recenseamento de Israel.

2. Davide disse a Joab e aos principais do povo: Ide, contai Israel desde Bersabé até Dan, e trazei-me o número, para eu o saber.

3. Joab respondeu: O Senhor multiplique o seu povo cem vezes mais do que ele é. Porventura, ó rei, meu senhor, não são todos servos teus? Por que procura o meu senhor fazer uma coisa que será imputada como pecado a Israel?

4. Contudo preveleceu a ordem do rei. Joab partiu, andou girando por todo o Israel e voltou para Jerusalém.

5. Deu a Davide a lista daqueles que tinha recenseado: o número total de Israel era de um milhão e cem mil homens capazes de tomar armas; o de Judá era de quatrocentos e setenta mil homens de guerra.

6. Joab não contou os da tribo de Levi, nem os da tribo de Benjamim, porque lhe repugnava a ordem do rei.

7. Esta ordem desagradou a Deus, o qual feriu Israel.

8. Davide disse a Deus: Eu cometi um grande pecado em fazer isto, peço-te que perdoes a culpa ao teu servo, porque procedi nèsciamente.

9. O Senhor falou a Gad, vidente de Davide, dizendo:

10. Vai, fala a Davide e dize-lhe: Eis o que diz o Senhor: Eu te dou três coisas à escolha; escolhe uma qual quiseres, e eu ta farei.

11. Tendo ido Gad à presença de Davide, disse-lhe: Eis o que diz o Senhor: Escolhe o que quiseres:

12. ou sofrer a fome durante três anos, ou fugir diante dos teus inimigos durante três meses, sem poderes escapar da sua espada, ou estar debaixo da espada do Senhor durante três dias, grassando a peste pelo país, e fazendo estragos o anjo do Senhor em todas as terras de Israel. Vê, pois, agora que hei-de responder a quem me enviou.

13. Davide respondeu a Gad: De toda a parte me vejo em grandes angústias, mas para mim é melhor cair nas mãos do Senhor, porque é de muita misericórdia, do que cair nas mãos dos homens.

14. Mandou, pois o Senhor a peste a Israel, e morreram de Israel setenta mil homens.

15. Mandou também um anjo a Jerusalém, para a assolar; porém quando estava a ser assolada, o Senhor olhou e compadeceu-se dum mal tão grande, e mandou ao anjo exterminador: Basta, retira já a tua mão. O anjo do Senhor estava perto da eira de Ornan Jebuseu.

16. Davide, levantando os olhos, viu o anjo do Senhor, que estava entre o céu e a terra, com um a espada desembainhada na sua mão, voltada contra Jerusalém; (à sua vista), tanto ele como os seus anciães, cobertos de cilícios, prostraram-se com os rostos por terra.

17. Davide disse a Deus: Porventura não sou eu quem mandou fazer o recenseamento do povo? Fui eu que pequei, eu o que fiz o mal; mas este rebanho, que mereceu ele? Volte-se, pois, te peço, Senhor meu Deus, a tua mão contra mim e contra a casa de meu pai, mas que o teu povo não seja castigado.

18. O anjo do Senhor mandou a Gad que dissesse a Davide que fosse e que levantasse um altar ao Senhor Deus na eira de Ornan Jebuseu.

19. Foi, pois, Davide, conforme a ordem que Gad lhe tinha intimado da parte do Senhor.

20. Ornan e quatro filhos seus, que com ele estavam, tendo levantado os olhos e visto o anjo, esconderam-se; naquela ocasião estavam debulhando trigo na eira.

21. Quando Davide se dirigia para Ornan, viu-o Ornan, e, saindo da sua eira ao seu encontro, fez-lhe uma profunda reverência, prostrando-se por terra.

22. Davide disse-lhe: cede-me o sítio da tua eira, para eu edificar nele um altar ao Senhor; cede-me pelo dinheiro que valer para que cesse a praga de cima do povo.

23. Ornan respondeu a Davide: Toma-a, e o rei senhor faça dela o que for do seu agrado; eu darei também os bois para o holocausto, os trilhos para lenha, e trigo para o sacrifício; darei tudo de boa vontade.

24. O rei Davide disse-lhe: Não se fará assim, mas eu te hei-de dar o dinheiro que ela vale, porque eu não devo tirar-te o que é teu, e oferecer assim ao Senhor holocaustos que não me custam nada.

25. Deu, pois, Davide a Ornan, pelo terreno, seiscentos siclos de ouro de justo peso.

26. Levantou ali um altar ao Senhor, ofereceu holocaustos e hóstias pacíficas e invocou o Senhor, e ele o ouviu, mandando do céu fogo sobre o altar do holocausto.

27. Então o Senhor mandou ao anjo, e ele meteu a sua espada na bainha.

28. Imediatamente Davide, vendo que o Senhor o tinha ouvido na eira de Ornan Jebuseu, imolou ali vítimas.

29. O tabernáculo do Senhor, que Moisés tinha feito no deserto, e o altar dos holocaustos, estavam então no alto de Gabaon.

30. Davide não teve força para ir até ao altar, para ali fazer oração a Deus, porque tinha ficado em extremo aterrado de espanto, ao ver a espada do anjo do Senhor.





“Devemos odiar os nossos pecados, visto que o amor ao Senhor significa paz”. São Padre Pio de Pietrelcina