1. Em seguida (o Senhor) disse: Corta duas tábuas de pedra como as primeiras, e eu escreverei sobre elas as palavras que continham as tábuas que tu quebraste.

2. Está pronto pela manhã, cedo, para subires logo ao monte Sinai, e estarás comigo no cume do monte. Ninguém suba contigo, nem apareça alguém por todo o monte;

3. nem mesmo os bois ou as ovelhas se apascentem defronte.

4. (Moisés) pois cortou duas tábuas de pedra. como eram as primeiras, e, levantando-se de noite, subiu ao monte Sinai, conforme o Senhor lhe tinha ordenado, levando consigo as tábuas.

5. Tendo descido o Senhor no meio da nuvem, esteve com ele, e pronunciou o nome de Iavé.

6. Passando o Senhor diante dele, exclamou; Iavé, Iavé, Deus misericordioso e clemente, paciente e de muita misericórdia, e verdadeiro,

7. que conserva a misericórdia tem milhares de gerações, que perdoa a iniquidade, a revolta e os pecados, mas que os não deixa sem castigo, punindo a iniquidade dos pais sobre os filhos e os netos ate à terceira e quarta geração.

8. Imediatamente Moisés se prostrou, se curvou até à terra,

9. dizendo: Senhor, se eu achei graça em tua presença, peço-te que venhas connosco (porque este povo é de cerviz dura), e que tires as nossas iniquidades e pecados, e que tomes posse de nós.

10. O Senhor respondeu: Eu farei à vista de todos a aliança, farei prodígios, que nunca jamais se viram sobre a terra, nem em alguma nação, para que este povo, no meio do qual estás, veja a obra do Senhor porque vou fazer coisas terríveis contigo.

11. Observa todas as coias que hoje te ordeno; eu mesmo expulsarei na tua presença o Amorreu, o Cananeu, o Heteu, o Ferezeu, o Heveu e o Jebuseu.

12. Abstém-te de contrair em algum tempo, com os habitantes daquela terra, amizades, (com receio de) que te sejam ocasião de ruína.

13. Destroi os seus altares, quebra as suas estátuas, e corta os seus Ascherim. (ver nota)

14. Não adores nenhum deus estranho. O Senhor tem por nome Zeloso, é um Deus zeloso.

15. Não faças pacto com os homens daqueles países, a fim de que não aconteça que, depois de se terem prostituído com os seus deuses, e terem adorado as suas imagens, te chame algum para comeres das coisas imoladas. (ver nota)

16. Nem tomarás as suas filhas para mulheres de teus filhos, não suceda que, depois de elas mesmos se terem prostituído com os seus deuses, façam prostituir-se também os teus filhos com os seus deuses.

17. Não farás para ti deuses de metal fundido.

18. Observarás a solenidade dos ázimos. Durante sete dias comerás ázimos, como te mandei, no mês dos trigos novos, porque no mês da Primavera é que tu saiste do Egipto.

19. Todo o primogênito do sexo masculino será meu. (O primogênito) de todos os animais, tanto de vacas como de ovelhas, será meu.

20. O primogênito do jumento resgatá-lo-ás com uma ovelha: se não o quiseres resgatar, será morto. Resgatarás o primogênito dos teus filhos, e não aparecerás na minha presença com as mãos vazias.

21. Trabalharás seis dias e ao sétimo repousarás, mesmo no tempo de lavrar ou de ceifar.

22. Celebrarás a solenidade das semanas por ocasião das primícias da tua messe de trigo, e a solenidade (da colheita) quando no fim do ano se recolhe tudo.

23. Todos os varões compareçam, três vezes no ano, diante do Onipotente Senhor Deus de Israel,

24. escorraçarei da tua vista as nações, dilatarei os teus limites e ninguém pensará invadir a tua terra, enquanto tu subires para comparecer na presença do Senhor teu Deus, três vezes no ano.

25. Não imolarás o sangue da minha vítima com pão fermentado, e, da vítima da solenidade da Páscoa, nada ficará para de manhã.

26. Oferecerás as primícias dos frutos da tua tema na casa do Senhor teu Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua mãe.

27. O Senhor disse a Moisés; Escreve estas palavras, pelas quais eu fiz aliança contigo e com Israel.

28. Moisés pois esteve ali com o Senhor quarenta dias e quarenta noites: não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as dez palavras da aliança.

29. Descendo Moisés do monte Sinai, trazia as duas tábuas do testemunho, e não sabia que o seu rosto era resplandecente depois que tinha estado a falar com o Senhor.

30. Mas Aarão e os filhos de Israel, vendo o rosto de Moisés resplandecente, tiveram medo de se aproximar dele.

31. Tendo-os Moisés chamado, voltaram (a ele) tanto Aarão como os principes da sinagoga. Depois que lhes falou,

32. aproximaram-se também dele todos os filhos de Israel, aos quais deu todas as ordens que tinha recebido do Senhor no monte Sinai.

33. Quando acabou de falar, pôs um véu sobre o seu rosto. (ver nota)

34. Nas ocasiões em que entrava à presença do Senhor e falava com ele, tirava o véu até sair; depois saía e dizia aos filhos de Israel tudo o que lhe tinha sido ordenado.

35. Eles viam que a face de Moisés, ao sair, era resplandecente, porém ele cobria de novo o rosto, se tinha de lhes falar.





“Onde não há obediência, não há virtude. Onde não há virtude, não há bem, não há amor; e onde não há amor, não há Deus; e sem Deus não se chega ao Paraíso. Tudo isso é como uma escada: se faltar um degrau, caímos”. São Padre Pio de Pietrelcina